Publicidade

Por que o Google vai acabar com o cadeado que indica se um site é seguro?

Por| Editado por Wallace Moté | 03 de Maio de 2023 às 10h48

Link copiado!

FLY:D/Unsplash
FLY:D/Unsplash
Tudo sobre Google

Há anos, a presença de um cadeado ao lado da barra de endereços do navegador é um indicador da segurança do site que está sendo acessado, mas não mais. Neste ano, o conhecido ícone deixará de existir como parte de uma reformulação dos navegadores baseados na arquitetura Chromium para desktops, o que inclui o Google Chrome, Microsoft Edge e tantos outros.

A notícia foi anunciada pelos responsáveis pelo projeto de código-aberto, que citam que a segurança, hoje, deve ser parte básica do design de um site. E enquanto o cadeado indica sim a presença de uma conexão segura — neste caso, do protocolo HTTPS, que criptograva as informações trocadas entre usuário e servidor —, ele não é sinal de confiabilidade. Mesmo um site perigoso pode contar com esse recurso e, ainda assim, furtar as informações fornecidas ou servir vírus, por exemplo.

Enquanto os navegadores baseados em Chromium continuarão a exibir alertas quando a conexão não estiver protegida pelo protocolo HTTPS, o cadeado será substituído por um botão que dará acesso aos controles de segurança. Por ali, será possível dar autorização para acesso a localização, sensores do dispositivo, cookies e outras preferências relacionadas à proteção de dados e privacidade.

Continua após a publicidade

São recursos, inclusive, que já estão disponíveis nas versões atuais dos browsers, parte de testes que a equipe do Chromium vem realizando desde 2021 e que, na visão deles, não gerou confusão; pelo contrário, o que se viu foi uma maior utilização dos controles e um aumento no interesse dos usuários pela maneira como os sites utilizam suas informações e recursos de telemetria.

A troca do ícone clássico por um botão de configurações conversa com essa ideia e, também, com a noção já citada de que a presença do cadeado não significa que o site acessado é seguro. Essa, sim, é vista como um sinal de confusão para os desenvolvedores do navegador, com uma pesquisa feita por eles há dois anos indicando que apenas 11% dos usuários entendiam bem o que o indicador representa. Enquanto isso, o poder de adaptação dos cibercriminosos fazem com que, hoje, quase todos os domínios fraudulentos contem com o protocolo HTTPS, justamente como forma de enganar quem acessa.

Quando o cadeado do Chrome vai acabar?

Continua após a publicidade

O Google marcou para setembro a substituição do ícone de segurança, quando promete lançar a versão 117 do navegador Chrome. Como a mudança acontece no Chromium, sistema de código-aberto que é a base não só do browser da gigante, mas de tantos outros, a tendência é que as demais soluções também adotem mudanças semelhantes.

O Edge, da Microsoft, por exemplo, vem experimentando mudanças na indicação desde, pelo menos, 2021, também com base nas pesquisas ligadas à falta de entendimento dos usuários sobre o recurso. Na ocasião, o botão do cadeado foi substituído por uma seta para baixo que, como hoje, dá acesso às preferências de segurança, autorizações e uso de recursos — um teste semelhante também foi feito no navegador do Google na época.

Quem quiser experimentar a mudança desde já pode ativar o chamado Chrome Refresh 2023 na versão de testes do navegador. A flag libera o novo ícone e também outros recursos ainda em desenvolvimento para o browser, que fazem parte dessa reformulação que deve acontecer ao longo deste ano.

Continua após a publicidade

Ainda que o foco da alteração seja o desktop, o Google também anunciou que o ícone vai mudar no Android na mesma data. No iOS, ele será removido completamente, uma vez que tocar nele não dá acesso a configurações de segurança. Em todas as plataformas, como dito, alertas continuarão a ser dados sempre que o usuário acessar um site sem o protocolo HTTPS implementado.

Fonte: Chromium Blog