Golpe do delivery faz Yasmin Brunet perder R$ 7,9 mil; veja como se proteger

Golpe do delivery faz Yasmin Brunet perder R$ 7,9 mil; veja como se proteger

Por Felipe Gugelmin | Editado por Claudio Yuge | 21 de Julho de 2021 às 16h03
Pexels

Você faz um pedido de delivery e, ao conferir sua fatura do mês, descobre que um lanche que deveria sair barato custou alguns milhares de reais. Conhecido como “golpe do delivery”, a ação tem feito vítimas em várias partes do país, incluindo nomes famosos como a da modelo Yasmin Brunet, que relatou em sua conta no Instagram ter sido lesada em R$ 7,9 mil após fazer um pedido por um aplicativo de entrega.

Brunet afirmou que, logo após fazer seu pedido, recebeu uma ligação afirmando que o motoboy responsável pela entrega havia sofrido um acidente. A modelo entrou em contato com a loja por um número disponível no aplicativo e foi informada por uma suposta funcionária do restaurante que receberia um novo pedido por cortesia, mas que o original deveria ser cancelado.

Dez minutos após a ligação, um suposto entregador chegou e agiu de forma estranha: sem tirar o capacete, ele estacionou longe do ponto combinado e perguntou à modelo o valor que deveria ser cobrado. Mesmo sentindo que a situação era estranha, e percebendo que nada era mostrado na tela da máquina de cobrança, Brunet prosseguiu com o pagamento.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Imagem: Reprodução/UOL Tilt

Segundo o relato da modelo, o motoqueiro afirmou que a transação não havia sido realizada com sucesso, mesmo que o bipe de confirmação tivesse tocado. O suposto entregador foi embora após Brunet ter pedido para ver a máquina e, ao ligar para sua operadora de cartão, ela descobriu que haviam sido debitados R$ 7,9 mil de sua conta.

A Rappi, empresa responsável pelo aplicativo de entrega, afirmou ao UOL Tilt que já resolveu a situação junto à modelo e que não opera com máquinas de débito ou crédito. A empresa afirma que mesmo gorjetas devem ser dadas através de seu aplicativo e que, em casos como o relatado, o recomendado é denunciar a atividade dentro do próprio app e através de um boletim de ocorrência, bem como solicitar o cancelamento dos pagamentos junto à operadora de cartões.

Golpe vem aumentando

Em junho deste ano, o Procon-SP alertou para um aumento de 186% nas reclamações sobre golpes relacionados a apps que entregam comida. De janeiro a maio deste ano foram registrados 249 atendimentos contra as empresas iFood, Rappi e Uber Eats, número que foi de 87 no mesmo período de 2020.

“Com a pandemia esses golpes aumentaram muito. Quem for vítima e for cobrado em valor incorreto, deve acionar o Procon-SP. Nós iremos apurar a responsabilidade da empresa e acionar a polícia. As empresas de delivery devem responder pelos problemas e ressarcir o consumidor”, afirma Fernando Capez, diretor executivo do órgão. Veja as recomendações para se proteger:

  • Não use máquinas com visores quebrados ou que não permitam a leitura de dados;
  • Dê preferências a pagamentos direto no aplicativo;
  • Desconfie e se recuse a pagar qualquer valor adicional ao entregador;
  • Não compartilhe seus dados pessoais por telefone;
  • Em caso de dúvidas, entre em contato com o local em que fez seu pedido.

Para garantir sua proteção, também é recomendado evitar que sua senha seja vista por outras pessoas durante o processo de pagamento e que você confira no aplicativo de seu banco se o valor cobrado está correto. Caso você já tenha sido vítima de um golpe, é indispensável relatar seu caso junto à polícia e às administradoras dos aplicativos para que as investigações adequadas possam ser realizadas.

Fonte: UOL Tilt, Procon-SP

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.