Golpe promete verificação no Facebook, Twitter e Instagram para raptar contas

Por Felipe Gugelmin | Editado por Claudio Yuge | 13 de Julho de 2021 às 15h30
(Imagem: Divulgação/Twitter)

Mais do que provar a identidade de uma pessoa, a verificação dentro de redes sociais como o Twitter, Instagram e Facebook é tratada como um símbolo de status social. Assim, não é incomum que muitas pessoas façam tudo o que é possível para receber os selos e, muitas vezes, se vejam vítimas de golpes que aproveitam desse desejo.

Uma reportagem divulgada pelo CNET mostra como a vontade de ser verificada está sendo usada por golpistas para roubar dados pessoais. Entre os meios usados por eles estão sites que prometem a autenticação de contas, que na verdade servem como uma forma de coletar dados de login e outras informações pessoais.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Além de manterem páginas próprias, os criminosos também realizam campanhas de abordagem usando mensagens privadas para abordar vítimas. Embora práticas do tipo não sejam novidade, especialistas de segurança acreditam que elas devem crescer em frequências conforme a construção de imagens em redes sociais se torna mais importante para pessoas e marcas.

Promessas de verificação são encontradas facilmente nas redes Imagem: Captura de tela/Canaltech

Segundo a empresa de segurança Trend Micro, golpes que prometem a verificação de perfis já foram detectados em mais de 70 países. “É somente uma isca que dá aos criminosos uma oportunidade de atacar essas vítimas”, explica Jon Clay, vice-presidente de inteligência de ameaças da companhia.

Tome cuidado com falsos consultores

Para dar mais veracidade às promessas de verificação, muitos golpistas se apresentam como especialistas de redes sociais e consultores da área. Cobrando valores que ultrapassam os US$ 1 mil (R$ 5,6 mil na cotação atual), eles prometem agilizar o processo junto a empresas como o Instagram, além de oferecerem pacotes de seguidores — um perfil analisado pela CNET, identificado como marion_digital, promete 100 mil seguidores por US$ 2,2 mil (R$ 11,3 mil).

Outro caso destacado é o de Enver Ceylan, que se apresenta como um homem renascentista que trabalha como músico, ator e consultor de mídias sociais. Em seu site, ele promete ajudar no gerenciamento de perfis no Facebook, Instagram e TikTok, solicitando o preenchimento de dados pessoais para agilizar o desbloqueio do selo verificado.

Imagem: Reprodução/Queenie Wong/CNET

Tudo não passa de um golpe que rouba as informações privadas das vítimas e já resultou no banimento de diversos perfis acessados sem permissão. Um de seus alvos teve sua conta do Twitter bloqueada após ter sua invasão confirmada, enquanto sua conta do Instagram saiu do ar enquanto a empresa responsável avalia como recuperá-la. O golpista também teve seus perfis pessoais banidos, mas logo retornou às redes sociais com novas identidades.

As tentativas de golpes também acontecem contra quem já possui um perfil verificado: normalmente associados a grandes quantidades de seguidores, eles garantem uma forma fácil de espalhar links maliciosos ou promover serviços. Enquanto os alvos preferenciais costumam de ser as celebridades — Kim Kardashian e o presidente Joe Biden já tiveram suas contas invadidas —, ganhar o selo pode tornar qualquer pessoa um objeto de interesse para cibercriminosos.

Segundo a Federal Trade Commission (FTC) dos Estados Unidos, a pandemia estimulou a realização de golpes de verificação: somente nos seis primeiros meses de 2020, eles causaram aproximadamente US$ 117 milhões (R$ 630 milhões) em prejuízo. Apesar de empresas como o Facebook condenarem qualquer venda de perfis verificados, isso não impede que ações do tipo cresçam diariamente.

Fonte: CNET

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.