Denúncias de conteúdo no WhatsApp não anulam criptografia do app

Denúncias de conteúdo no WhatsApp não anulam criptografia do app

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 09 de Setembro de 2021 às 19h40
Divulgação/Alfredo Rivera/Pixabay

Uma análise realizada por pesquisadores da Kaspersky concluiu que mesmo quando uma mensagem é reportada como imprópria para o WhatsApp, a criptografia das conversas não é anulada.

Os Termos e Condições do WhatsApp citam que se um usuário reportar um conteúdo inadequado, o app terá acesso às mensagens indicadas para análise. Com isso, uma grande gama do público que faz uso do mensageiro concluiu que essas situações anulam a criptografia de ponta a ponta presente no programa. Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky, porém, em análise recente feita pela empresa, concluiu que é preciso que as pessoas aprendam a distinguir como funciona a criptografia de ponta a ponta e a ferramenta de “reportar”.

A criptografia ponta a ponta dá ao usuário e ao destinatário uma chave especial que desbloqueia as mensagens trocadas entre eles de forma automática. Um remetente também pode mandar os textos recebidos para outro chat, sem ocorrer a quebra da criptografia — pois ela está sendo compartilhando de forma ciente e deixando o autor anônimo.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Já quando o botão reportar é acionado em uma mensagem, os moderadores do app não têm acesso a chave única de criptografia dos usuários, mas sim somente à informação que foi denunciada. Ainda segundo Assolini, não há evidências técnicas para suspeitar que o mensageiro executa algum processo diferente nesses casos, mantendo o compromisso com a criptografia dos dados e mensagens dos usuários.

Posição do Facebook

O Facebook já se manifestou sobre os questionamentos da criptografia de ponta a ponta do WhatsApp, em resposta a reportagem publicada no site 9to5Mac.

No comunicado oficial, o Facebook explica os fatos: “Construímos o WhatsApp de uma maneira que limita os dados que coletamos, ao mesmo tempo que nos fornece ferramentas para prevenir spam, investigar ameaças e banir aqueles que praticam abusos, inclusive com base em relatórios de usuários que recebemos", informou um porta-voz da companhia.

"Este trabalho exige um esforço extraordinário de especialistas em segurança e uma equipe de confiança e segurança valiosa, que trabalha incansavelmente para ajudar a fornecer ao mundo uma comunicação privada”, complementa.

O porta-voz ressaltou, ainda, que o WhatsApp está constantemente lançando novos recursos de privacidade, como as mensagens que desaparecem após algum tempo ou imediatamente após a visualização.

Fonte: Kaspersky, 9to5mac

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.