Defesa do Consumidor dá 72h para Apple explicar se Airpods prejudicam ouvidos

Defesa do Consumidor dá 72h para Apple explicar se Airpods prejudicam ouvidos

Por Márcio Padrão | Editado por Claudio Yuge | 31 de Maio de 2022 às 16h20
Victor Carvalho/Canaltech

A Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor (Senacon) notificou a Apple na segunda-feira (30) para que forneça explicações sobre a segurança dos fones de ouvido sem fio Airpods. A empresa tem até 72 horas para se manifestar, contando a partir da data da notificação.

A decisão foi tomada após o órgão ser informado que uma criança de 12 anos nos Estados Unidos sofreu danos auditivos irreversíveis após o uso dos fones da marca. O caso ocorreu há dois anos.

Segundo o processo, o garoto assistia a uma atração da Netflix em seu iPhone, quando a transmissão foi interrompida por um amber alert, uma notificação muito comum nos EUA, concentrada em divulgar informações sobre crianças desaparecidas (e que costuma surgir sem aviso prévio, em veículos de comunicação como televisão e rádio).

O relato é que o garoto estava assistindo ao conteúdo em um volume mediano, mas o alerta súbito veio no último volume, causando zumbido no ouvido, tontura, vertigem e náusea. Segundo processo, o par de Airpods pro “rasgou o tímpano, danificou a cóclea e causou ferimentos significativos”.

Senacon agiu após criança nos EUA sofrer danos auditivos irreversíveis usando Airpods (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

"Estamos investigando possível defeito e consequente risco à saúde e segurança dos consumidores brasileiros. A intenção é que a empresa aja com transparência e colabore com as autoridades nacionais e internacionais para esclarecimento imediato do caso", disse o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, no comunicado.

Senacon pede a Apple para se explicar sobre Airpods

Segundo a Senacom, a Apple deverá justificar a venda do acessório e os riscos do equipamento, explicando regularidade, qualidade, segurança, transparência, informação e orientação aos consumidores sobre a fabricação e venda dos Airpods.

O órgão baseou a notificação no artigo 10 do Código de Defesa do Consumidor, que diz que o fornecedor não pode colocar no mercado produto ou serviço que apresente alto grau de nocividade ou periculosidade à saúde ou segurança.

Procurada pelo Canaltech, a filial brasileira da Apple disse que não vai comentar o assunto.

Caso o consumidor se sinta lesado ou desconfie de algum defeito em produtos ou acessórios da Apple, é possível realizar uma manifestação, de forma gratuita, na plataforma Consumidor.gov.br. O prazo médio de respostas é de 7,5 dias após a abertura do caso.

Fonte: Senacon

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.