Confira 6 passos para fugir do golpe do boleto falso

Confira 6 passos para fugir do golpe do boleto falso

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 14 de Janeiro de 2022 às 23h30

Entre os vários tipos de golpes virtuais que existem atualmente, um se destaca entre a população por fazer vítimas a partir de algo tão comum ao brasileiro: o golpe do falso boleto. Usando de engenharia social para enganar pessoas, o golpe existe há anos e continua sendo uma fonte de dor de cabeça para boa parte da população.

Além disso, nos últimos meses, os criminosos tem adicionado novas funções na operação deste golpe, estabelecendo até mesmo call centers falsos e obtendo informações de contratos legítimos de bancos, para aumentar a credibilidade dos e-mails e cobranças.

Dito isso, como se precaver deste golpe? Compartilharemos a seguir seis dicas dadas feitas pelo Morais Advogados Associados, que visam impedir que pessoas caiam nessa fraude. Confira:

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Confira a empresa cobradora

Antes de pagar, é importante checar dados do boleto. (Imagem: Reprodução/Firmbee.com/Unsplash)

Quando for cobrado por um escritório jurídico ou uma empresa de cobranças, certifique-se que estes cobradores estão autorizados a negociar o seu débito, com declarações oficiais do credor dando essa permissão para quem enviou o boleto.

Além disso, fique atento: nenhum credor, seja banco, financeira, loja, ou outro concede redução do débito de uma dívida em 80%, e é esta estratégia que usam os estelionatários para convencer os consumidores a pagarem boletos falso sem o devido contato.

Cheque os dados do boleto

Geralmente, os boletos falsos contam com algumas características que podem ser facilmente checadas pelo usuário. Veja se os dígitos finais representam o valor do boleto: se são diferentes, é possível que seja golpe. Caso seja uma cobrança recorrente, como boleto de financiamento de veículo (onde ocorre o maior número de fraudes), fatura da TV a cabo, boleto da escola dos filhos que costume vir com valor fixo, confira com cobranças passadas e, caso encontre incongruências, suspeite.

Verifique ainda se os primeiros dígitos do código de pagamento coincidem com o código do banco que aparece como sendo o emissor do boleto. Também antes de efetivar o pagamento, verifique se o cedente do boleto é a instituição que realmente você está devendo, caso contrário ignore a cobrança. Os números bancários podem ser checados no site da Febraban.

Verifique a origem com o banco e financeira

Se o boleto é emitido por uma financeira, banco ou loja, pesquise a reputação da empresa no Reclame Aqui para se certificar de que ela de fato existe. Se for cobrado por uma empresa de cobranças, verifique junto ao credor se ela está autorizada a negociar o seu débito e emitir boletos.

Em caso de compras online, opte sempre que possível por outros meios de pagamentos que não envolvam boleto. Plataformas como Mercado Pago, PagSeguro e demais meios digitais oferecem mais segurança quando atuam como intermediárias e podem ser acionadas se algo der errado na transação.

Prefira a leitura automática do código de barras

Em qualquer boleto, prefira sempre ler o código de barras pela câmera do celular ou no caixa eletrônico, já que em geral, boletos com linha digitável adulterada não trazem código de barras compatível e precisam forçar a vítima a digitar a sequência manualmente para completar o golpe.

Baixe o boleto no site do credor

Sempre que possível, é importante baixar boletos diretamente no site do banco ou da empresa que está fazendo a cobrança. Duvide sempre de boletos que chegam por e-mail, especialmente quando a mensagem traz um assunto como "Urgente" ou "Seu nome está no Serasa", e utilize serviços de mensagens eletrônicas com bons filtros anti-spam, para diminuir a probabilidade de receber essas mensagens.

Tenha consciência também que em golpes mais sofisticados, um boleto falso pode até mesmos ser enviado para a casa da vítima. Nessa modalidade, o documento pode vir com visual idêntico ao original, incluindo envelope com carimbo e remetente real. Fique atento.

Certifique-se de que o site é seguro e evite Wi-Fi público

Evite usar Wi-Fi pública com seus pagamentos - nunca se sabe quem pode estar olhando a atividade dessas redes. (Imagem: Reprodução/Unsplash)

Ao fazer download do boleto no site do credor, certifique-se de que está acessando a página verdadeira e de que o endereço começa por HTTPS. Páginas seguras trazem o selo do certificado SSL que assegura contra invasões e garante maior confiabilidade para o documento que está sendo baixado.

Evite também se conectar em redes públicas, que são mais suscetíveis a ataques no roteador capazes de falsificar páginas visitadas. Em golpes mais avançados, o criminoso pode interceptar o acesso e alterar um boleto aparentemente baixado do site oficial do banco. Por isso, opte sempre por fazer o download em uma rede segura e com senha, ou pela Internet móvel do celular.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.