Como evitar golpes no iFood

Como evitar golpes no iFood

Por Felipe Gugelmin | Editado por Claudio Yuge | 09 de Agosto de 2021 às 15h30
Fábio Vieira/FotoRua

Com a pandemia e a necessidade de distanciamento social, aplicativos de entrega como o iFood, Rappi e Uber Eats tiveram um grande aumento em sua base de clientes. Ao mesmo tempo, o interesse crescente pelas entregas de comida veio acompanhado por novos golpes que se aproveitam da mudança de comportamento do público.

Entre janeiro a julho deste ano, o Procon-SP registrou 341 atendimentos referentes a golpes de aplicativos por supostos entregadores que prestam serviço às plataformas. O número representa um crescimento de 136% em relação ao mesmo período do ano passado, quando um total de 144 reclamações havia sido registrado.

A situação ganhou tamanha gravidade que o órgão estuda proibir alguns métodos de pagamento como forma de minimizar o impacto, que já causou mais de R$ 650 mil em prejuízos até julho deste ano. Para evitar ser vítima dos golpes e entrar para as estatísticas, vale a pena prestar atenção a algumas dicas que garantem sua segurança.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Pague diretamente no aplicativo

A melhor forma de evitar ser vítima das maquininhas adulteradas é sempre preferir pagar diretamente no aplicativo, seja por débito ou crédito. Caso você não tenha como fazer isso, ou o estabelecimento não ofereça a opção desejada, dê preferência a pagar os entregadores usando dinheiro.

Ao pagar pelo aplicativo, você evita que outras pessoas manuseiem seu cartão e o usem para atividades ilícitas. Independentemente do método escolhido, sempre desconfie de qualquer pedido de pagamento adicional que não foi informado pelo app — essa não é uma prática comum, e todos os principais serviços alertam para que o cliente não pague contas indevidas.

Cuidado com a maquininha

Caso você tenha decidido pagar na entrega e tudo pareça normal, ainda assim é preciso tomar alguns cuidados. Sempre verifique se o valor mostrado na maquininha é o mesmo da nota fiscal, e nunca digite sua senha em aparelhos com visor quebrado ou nos quais algum elemento não pareça legível.

Imagem: Divulgação/Ahmad Ardity/Pixabay

Também repare se não há ninguém olhando diretamente para as informações de seu cartão e digitação de senha — relatos de golpes mostram que há casos em que criminosos tentam gravar detalhes do cliente com o celular. Prestar atenção à sua privacidade é algo recomendado tanto para pagamentos de entrega quanto durante a realização de qualquer transação comercial.

Desconfie de ofertas boas demais

Entre as principais atrações dos aplicativos de entrega estão as promoções: para conquistar novos clientes, muitos lojistas apostam em descontos interessante que mexem com a curiosidade — e não tanto com o bolso. No entanto, ofertas boas demais para parecer verdadeiras podem gerar dores de cabeça.

Enquanto uma loja oferecer produtos com valores muito abaixo do normal não significa que ela está necessariamente envolvida em um golpe, vale a pena ficar atento. Leia avaliações de outros clientes (quanto elas estiverem disponíveis) e procure pelo nome do estabelecimento em outros locais para verificar se ela é confiável e presta bons serviços.

Mantenha as comunicações no app

Todos os principais aplicativos do mercado possuem um sistema de chat interno, através do qual você pode se comunicar tanto com o restaurante quanto com o entregador responsável. Desconfie de qualquer comunicação que seja feita fora por outro meio — em um golpe comum, criminosos mandam mensagens por WhatsApp para dizer que o entregador se acidentou e uma nova taxa de entrega será exigida, por exemplo.

Imagem: Divulgação/iFood

Manter as comunicações dentro do app do iFood é uma forma de você garantir sua segurança e responsabilizar o restaurante no qual o pedido foi feito caso ocorra qualquer problema. Caso você desconfie de um golpe e a loja não responda, se recuse a pagar qualquer valor cobrado de forma suspeita — é melhor ficar sem a entrega esperada do que ter que lidar com o roubo de seu dinheiro e de suas informações pessoais.

Não compartilhe seus dados pessoais

Após você realizar um pedido, os restaurantes só podem solicitar dados adicionais conforme o que é solicitado pelo aplicativo de entrega. Ou seja, enquanto um entregador pode pedir orientações caso não esteja encontrando seu endereço, não é possível que um prestador de serviço solicite dados como seu CPF ou o número de seu cartão de crédito, por exemplo.

Sempre fique atento às regras e termos de serviço do aplicativo usado, e abra reclamações caso as lojas em que você pede comida exijam dados demais. Geralmente, a única informação que um aplicativo vai pedir após a confirmação do pedido é o código de segurança, do qual o entregador necessita para garantir que o pedido feito chegou à pessoa certa.

Desconfie de histórias mal contadas

Mesmo que você tenha pagado diretamente pelo app, criminosos vão tentar convencê-lo de que houve algo de errado e é preciso fazer um novo pagamento — não acredite neles. Da mesma forma, desconfie se ouvir o som de confirmação da máquina de cartão e o entregador afirmar que houve um erro é preciso passar novamente o cartão.

Imagem: Divulgação/12138562/Pixabay

Quase todos os golpes têm em comum alguma história mal contado e uma solicitação que foge ao funcionamento comum dos serviços de entrega. Se no momento de fazer uma compra você se vir em alguma dessas situações, o ideal é suspender tudo até ter certeza do que está acontecendo, ou desistir completamente da compra.

O que fazer se você foi vítima do golpe?

Mesmo se protegendo e seguindo dicas de segurança, você pode acabar sendo vítima de um golpe em um momento de descuido. Caso se veja como uma vítima, é preciso tomar algumas ações para tentar ao menos minimizar os prejuízos:

  • Entre em contato com o banco e peça o bloqueio do cartão e a contestação da transação abusiva, que normalmente depende de um prazo que pode levar até cinco dias;
  • Denuncie o entregador ao restaurante e ao aplicativo de entregas, que é responsável pela segurança dos clientes e têm responsabilidade sobre a forma como os criminosos acessaram os dados pessoais do cliente;
  • Registre um Boletim de Ocorrência junto com o pedido de ressarcimento à plataforma. O registro deve ser feito junto à Polícia Civil, autoridade competente nos casos de golpe através dos aplicativos.

Ao cair em um golpe, é preciso sempre estar atento ao fato de que você pode e deve reclamar seus direitos. O consumidor não deve ter que arcar com prejuízos causados por falhas de segurança dos aplicativos, por mais que eles tenham em seus termos de serviço cláusulas que os isentem de responsabilidades — que poderão ser consideradas nulas em ações judiciais.

Fonte: Nubank, idec

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.