Variante Delta representa quase 90% das amostras sequenciadas da COVID no globo

Variante Delta representa quase 90% das amostras sequenciadas da COVID no globo

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 09 de Agosto de 2021 às 11h50
IciakPhotos/Envato Elements

Descoberta pela primeira vez na Índia, a variante Delta (B.1.671.2) do coronavírus SARS-CoV-2 representa quase 90% das amostras do vírus da COVID-19 sequenciadas em todo o mundo, de acordo com o último relatório epidemiológico da OPAS (Organização Pan-Americana de Saúde) — braço da Organização Mundial (OMS) nas Américas. A informação sobre a predominância global da nova variante foi divulgada no domingo (8).

Notificada pela primeira vez em julho de 2020, a variante Delta já está presente em pelo menos 135 países. "Em julho de 2021, observou-se uma predominância global da variante Delta em quase 90% das amostras em nível global", destacou o documento da OPAS sobre a evolução da cepa em um ano.

Variante Delta representa 90% dos casos da COVID-19 no mundo (Imagem: Reprodução/GISAID/OPAS)

Variante Delta no Brasil

Na última semana, estados brasileiros divulgaram o nível de incidência da variante, como o Rio de Janeiro. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde do RJ, a Delta corresponde a 26% das amostras analisadas do estado. Na Grande São Paulo, um boletim divulgado pelo Instituto Adolfo Lutz (IAL) apontou que 23,5% das amostras analisadas correspondiam a Delta.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Nacionalmente, a predominância ainda é da Gama (P.1), descoberta em Manaus, no Amazonas. No entanto, esta VOC não chega a configurar entre as variantes mais presentes na lista global da OPAS. Isso porque a lista contabiliza o número total de sequenciamentos feitos e países em desenvolvimento e/ou pobres sequenciam poucos casos da COVID-19.

"Reconhece-se que estas informações relativas às variantes devam ser avaliadas com cautela, devido à representação possivelmente enviesada dos dados de sequenciamento genômico (GSD) do SARS-CoV-2, com uma maior contribuição de países de alta renda", observa o documento.

Reforço das medidas contra a COVID-19

Diante do aumento de casos da variante Delta em todo o mundo, a OPAS "encoraja aos Estados Membros a coordenar ações de preparação para possível aumento de casos da COVID-19 que poderão demandar atenção hospitalar de pacientes, incluindo terapia intensiva com suporte, a exemplo de hemodiálise ou outras terapias". Em paralelo, a orientação é de que seja intensificada a vigilância genômica, já que isso trará melhores informações para avaliar os rumos da pandemia da COVID-19.

"Frente ao potencial aumento de casos e hospitalizações relacionados a circulação da VOC Delta, se faz necessário maximizar os esforços para ampliar as coberturas vacinais completas, principalmente na população a maior risco, bem como reforçar as medidas de prevenção e proteção não farmacológicas, tais como distanciamento físico, uso de máscaras individuais, uso de soluções antissépticas", orienta a organização. "Essas medidas permanecem eficazes na redução da transmissão desta e de todas as variantes", completa.

Para acessar a última atualização epidemiológica da OPAS, clique aqui.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.