Vacinas contra a COVID-19 podem alterar nosso DNA?

Por Nathan Vieira | 08 de Outubro de 2020 às 20h40
HeungSoon/Pixabay

A internet é um campo minado, onde se deve ter cuidado o tempo todo com a veracidade das informações. Recentemente, vídeos apontaram que as vacinas contra a COVID-19 que usam a técnica mRNA poderiam causar defeitos genéticos irreversíveis e alterar nosso código genético. No entanto, isso não é verdade. As vacinas desse tipo não interferem no DNA humano e não são capazes de provocar danos genéticos.

Um desses vídeos, aliás, ainda afirma que nanopartículas serão instaladas nas doses da vacina para monitorar quem for imunizado, com a participação de Bill Gates. No entanto, Isso também não é verdade. O que acontece é que uma das vacinas em desenvolvimento contra a COVID-19 é a INO-4800, da empresa Inovio, que recebeu uma doação da Fundação Bill & Melinda Gates, e usa uma tecnologia para aumentar a permeabilidade da membrana das células.

Inúmeras empresas estão dedicadas a encontrar uma vacina contra a COVID-19, e dentre as candidatas, as que utilizam o mRNA são: Moderna, BionTech (desenvolvida em parceria com a Pfizer), Curevac, Arcturus e People’s Liberation Army (PLA) Academy of Military Sciences/Walvax Biotech. Na prática, vacinas de mRNA têm fragmentos do código genético do vírus, o RNA, que é introduzido nas células do paciente e faz com que o próprio corpo humano passe a produzir essas proteínas do vírus. No entanto, são desenvolvidas para não interferir no DNA humano e são incapazes de causar danos genéticos.

Não, vacinas contra COVID-19 não servem para te espionar nem para mudar seu DNA (Imagem: Karolina Grabowska/Pexels)

Em entrevista ao Estadão, Cristina Bonorino, professora titular da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) e membro do comitê científico da Sociedade Brasileira de Imunologia, aponta que não há evidência nenhuma de que essas vacinas possam causar danos genéticos. “Já fazia muito tempo que essa discussão estava em andamento para liberar essas vacinas porque tem evidência robusta de que ela funciona e ela não tem efeitos adversos graves”, afirmou.

A afirmação de que Bill Gates financia uma vacina que usa o mRNA e que vai controlar os dados de quem a tomar é inverídica, e já falamos sobre isso no Canaltech. Nenhuma das vacinas financiadas por Bill Gates usa partículas que causarão danos ao nosso organismo ou controlarão os dados. Em março, Bill Gates afirmou que “eventualmente, nós teremos alguns certificados digitais para mostrar quem se recuperou ou foi recentemente testado ou, quando houver uma vacina, quem a recebeu", mas isso não coloca a vacina como forma de controle social.

Como saber se uma informação é verdadeira?

No início do ano, o Canaltech trouxe uma lista de cinco sites e dicas para você poder validar a veracidade de uma notícia. Antes de acreditar em uma informação (e principalmente compartilhar), vale dar uma olhada em um desses sites para checar a veracidade. É muito importante ficar atento a estas dicas, pois compartilhar fake news pode induzir pessoas a cometerem erros. Combater o compartilhamento de falso conteúdo é uma responsabilidade de todos.

Fonte: Estadão

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.