Em testes, vacina polivalente pode proteger da COVID e outras doenças

Em testes, vacina polivalente pode proteger da COVID e outras doenças

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 12 de Maio de 2021 às 07h30
Mufid Majnun/Unsplash

Várias vacinas contra a COVID-19 já estão em vigor, mas a medicina continua em busca de outras técnicas. É o caso do Duke Human Vaccine Institute, que está desenvolvendo uma nova vacina capaz de neutralizar o SARS-CoV-2, suas variantes, e até outros tipos de coronavírus. O imunizante, que foi testado em macacos e camundongos, conseguiu ser eficaz na proteção de uma variedade de infecções.

A nova vacina ativa anticorpos neutralizantes por meio de uma nanopartícula, composta pela parte do coronavírus que permite que ele se ligue aos receptores celulares do corpo (a proteína S), e é formulada com um intensificador químico. Vale observar que o sucesso em primatas é altamente relevante para os humanos.

Em estudos anteriores envolvendo a síndrome respiratória aguda grave (a SARS, doença causada pelo coronavírus SARS-CoV-1) e a síndrome respiratória do oriente médio (a MERS, causada pelo coronavírus MERS-CoV), os pesquisadores descobriram que uma pessoa infectada desenvolve anticorpos capazes de neutralizar múltiplos coronavírus, sugerindo que uma vacina pan-coronavírus poderia ser possível.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

(Imagem: Mufid Majnun/Unsplash)

Acontece que a fraqueza do coronavírus é seu domínio de ligação ao receptor, localizado na ponta que liga os vírus aos receptores nas células humanas. Embora esse local de ligação permita que ele entre no corpo e cause infecção, também pode ser direcionado por anticorpos. A equipe então projetou uma nanopartícula explorando esse ponto vulnerável. A nanopartícula é combinada com uma pequena molécula adjuvante, que estimula a resposta imunológica do corpo.

Em testes de seu efeito em macacos, a vacina de nanopartículas bloqueou a infecção por COVID-19 com 100% de eficácia. A nova vacina também produziu níveis de neutralização significativamente mais elevados nos animais. Os resultados mostram que as vacinas atuais que utilizam tecnologia de mRNA em suas fórmulas podem proteger pessoas até mesmo contra novos coronavírus, até mesmo durante outras pandemias — e a plataforma pode pavimentar o caminho para o desenvolvimento de futuras vacinas pan-coronavírus.

Fonte: Nature via Science Blog

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.