Tratamento com células-tronco de cordão umbilical controla doença rara e mortal

Tratamento com células-tronco de cordão umbilical controla doença rara e mortal

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 13 de Junho de 2022 às 18h00
GiovanniCancemi/Envato Elements

Para o tratamento da hipertensão arterial pulmonar (HAP) — também conhecida como pressão alta nas artérias dos pulmões —, uma equipe de cientistas alemães testou uma nova terapia, baseada no uso de células-tronco do cordão umbilical. Após o tratamento experimental, a criança, de 3 anos, teve melhora no quadro, considerado raro e potencialmente mortal.

Publicado na revista científica Nature Cardiovascular Research, o estudo que usou as células-tronco para melhorar a saúde do pulmão foi desenvolvido por pesquisadores da Hannover Medical School, na Alemanha.

Tratamento com células-tronco reduz efeitos de doença rara e mortal em criança (Imagem: Doodlartdotcom/Pixabay)

“O tratamento levou a uma melhora significativa no crescimento, resiliência e variáveis ​​clínicas cardiovasculares e reduziu o número de marcadores plasmáticos no sangue que podem ser detectados na vasoconstrição e inflamação”, explica Georg Hansmann, um dos autores do estudo e professor da faculdade alemã, em comunicado.

Entenda o que causa a doença rara

É importante explicar que a hipertensão arterial pulmonar (HAP) é uma doença hereditária. A condição provoca a malformação dos vasos sanguíneos nos pulmões e causa, de forma progressiva, a insuficiência cardíaca. Na maioria dos casos, pode ser fatal.

Antes do tratamento com as células-tronco, a criança não apresentava pouco fôlego, mesmo em repouso, e se movimentava lentamente. Após cinco sessões da terapia em um intervalo de seis meses, a paciente obteve melhoras do quadro e não apresentou efeitos adversos.

Segundo a equipe médica, a paciente não tem mais limitações em sua capacidade de exercício e também cresceu e ganhou peso em uma proporção mais significativa que os meses anteriores. Além disso, as funções cardíaca e pulmonar também estão melhores. No entanto, ela ainda tem pressão alta nos pulmões e pode precisar de mais sessões do tratamento no futuro, explica o cientista Hansmann.

Por enquanto, a equipe de pesquisadores investiga se a potencial terapia deveria ser repetida em intervalos regulares para provocar uma melhora permanente do quadro. Caso a demanda seja confirmada, será preciso também estabelecer qual o tempo ideal entre as sessões.

Como funciona o tratamento com células-tronco?

Vala explicar que, na maioria dos casos, os tratamentos com células-tronco envolvem colocar as células "estranhas" no corpo de alguém, o que pode causar rejeição. No experimento, não ocorreu nenhum transplante de células-tronco e a nova terapia usa uma espécie de subproduto destas células.

Na terapia experimental, a equipe de cientistas usou células-tronco do cordão umbilical da irmã da paciente. Estas células foram cultivas em laboratório e, neste processo, substâncias bioquímicas foram formadas. Para colhê-las, as células eram mergulhadas em um líquido regularmente. Por fim, o líquido foi infundido nos vasos sanguíneos dos pulmões e do coração da menina durante seis meses.

Como resultado, o composto, aparentemente, melhorou as condições da criança e também promoveu a cicatrização dos tecidos pulmonares. Apesar do sucesso do teste, Hansmann explica que "mais estudos são necessários para confirmar e explorar os benefícios desta nova terapia com células-tronco".

Fonte: Nature Cardiovascular Research e MHH      

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.