Sonic: conheça a proteína descoberta para potencial tratamento de Parkinson

Sonic: conheça a proteína descoberta para potencial tratamento de Parkinson

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 24 de Setembro de 2021 às 08h30
Hello I'm Nik/Unsplash

Liderado por pesquisadores da Universidade da Cidade de Nova York (CUNY), um novo estudo parece ter encontrado uma forma inédita — e ainda inicial — para o tratamento de Mal de Parkinson. Após testes com o tratamento experimental em animais, os cientistas esperam que, no futuro, a qualidade de vida dos pacientes com esse distúrbio do sistema nervoso central possa melhorar. O curioso é que a proteína chave para a terapia recebeu o nome de Sonic the Hedgehog. Sim, uma homenagem ao ouriço azul eternizado no mundo dos games.

Segundo os cientistas do estudo, o remédio Levodopa (L-dopa) é considerado uma das melhores alternativas, hoje, para o tratamento de Parkinson. Só que, após alguns anos de uso contínuo, uma parcela significativa de pacientes pode relatar um efeito colateral debilitante, que é conhecido como discinesia induzida por L-dopa (LID).

Concentração da proteína Sonic pode ser a chave para um melhor tratamento contra o Mal de Parkinson (Imagem: Reprodução/Raman Oza/Pixabay)

A LID desencadeia movimentos involuntários nos membros, na face e no tronco dos pacientes. Por sua vez, a medicina já desenvolveu um tratamento que "controla" ou alivia esse problema: a estimulação cerebral profunda. Só que este procedimento é bastante invasivo e não pode ser aplicado em todos os pacientes. Agora, respostas melhores para esse desdobramento da terapia são investigadas.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Estudando a proteína Sonic contra o Parkinson 

É neste cenário desafiador que a proteína Sonic the Hedgehog (Shh) pode fazer a diferença na vida dos pacientes com Parkinson, segundo os autores do estudo desenvolvido em modelos animais. Na pesquisa com camundongos, foi possível observar que substâncias que aumentam a concentração da Shh fortalecem a proteção do sistema contra o aparecimento da LID.

"Fornecemos uma nova visão sobre os mecanismos subjacentes por trás da formação de LID e fornecemos uma solução terapêutica potencial", afirma Lauren Malave, pesquisadora da CUNY e principal autora do estudo.

Vale observar que os pesquisadores ainda estão distantes de transformarem essa descoberta em um remédio amplamente disponível. Se estudos futuros continuarem a mostrar este mesmo benefício terapêutico, é possível que, em breve, um tratamento melhor e mais acessível esteja disponível para essa condição neurológica.

Para acessar o estudo completo sobre a proteína Sonic, publicado na revista científica Communications Biology, clique aqui.

Fonte: CUNY  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.