Seu cérebro está se devorando neste exato momento; entenda o efeito fagocitose

Seu cérebro está se devorando neste exato momento; entenda o efeito fagocitose

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 25 de Janeiro de 2022 às 15h40
Inmicco/Envato

Já está claro que o cérebro é um dos maiores mistérios do corpo humano, mas você sabia que o órgão devora a si mesmo o tempo inteiro? Pode soar como ficção científica quando se diz dessa maneira, mas é que as células cerebrais envolvem e consomem células ou moléculas menores, a fim de removê-las do sistema, num processo chamado fagocitose.

Na fagocitose, a célula captura uma partícula, que fica totalmente envolta por uma membrana. Enzimas são lançadas, então, para degradar a partícula e formar o que os biólogos chamam de vacúolo digestivo. As "sobras" desse processo recebem o nome de corpos residuais, e podem ser excretadas pela própria célula depois.

O sistema imunológico é todo trabalhado nesse processo autofágico: glóbulos brancos consomem patógenos, por exemplo. Com o cérebro, o fenômeno acontece sempre, uma vez que o órgão consome muita energia, e realiza inúmeros processos complexos, que acabam gerando muitos detritos.

Cérebro devora a si mesmo graças a fenômeno chamado fagocitose (Imagem: hainguyenrp/Pixabay)

O cérebro precisa arrumar um jeito de eliminar esses detritos, então a maior parte dessa limpeza acontece na hora de dormir. Ainda assim, algumas conexões cerebrais precisam ser removidas ou alteradas, então a partir da adolescência, as conexões neurológicas não utilizadas passam a ser eliminadas, para que o órgão fique mais eficiente e pronto para a vida adulta.

Em palavras grosseiras, nesse processo o cérebro está devorando a si mesmo, em prol de sua própria melhoria. É por isso que o maior mistério do corpo humano é tão adaptável e complexo.

Fonte: Science Focus, British Society for Immunology

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.