Serrana (SP) encerra primeira fase de vacinação em massa contra COVID-19

Por Nathan Vieira | 15 de Março de 2021 às 23h20
Retha Ferguson/Pexels

Ao longo de 2020, a população mundial esteve torcendo para que a vacina contra a COVID-19 viesse à tona, enquanto biofarmacêuticas ao redor do mundo faziam o possível para que isso acontecesse. Em 2021, finalmente alguns países deram início à vacinação, tal como o próprio Brasil. A primeira cidade a aderir à campanha de vacinação em massa no país foi Serrana, no interior de São Paulo, que no último domingo (14) encerrou a primeira fase da imunização.

Desde o início da campanha, em 17 de fevereiro, a cidade vacinou 27.619 dos 28.380 moradores inscritos num estudo sobre a eficácia da CoronaVac em populações inteiras, chamado Projeto S. Esse estudo está sendo proporcionado pelo Instituto Butantan, que desenvolve o imunizante em questão juntamente com a biofarmacêutica chinesa Sinovac. O número equivale a aproximadamente 97,3% do público. Serrana conta, ao todo, com 45.644 habitantes.

Serrana vacinou 26.144 dos 28.380 moradores inscritos no projeto sobre a eficácia da CoronaVac em populações inteiras(Imagem: Alena Shekhovtcova/Pexels)

O estudo do Butantan dividiu os voluntários em grupos, sendo que o último a ser vacinado, tem 8.270 cadastrados, dentre os quais 6.938 foram imunizados, o que representa 83,9%. Justamente por conta desse projeto, as doses chegaram não apenas a integrantes dos grupos prioritários, mas sim para toda a população adulta de Serrana.

O projeto busca analisar o efeito da vacina aplicada em populações inteiras. Em outras palavras, os responsáveis almejam saber se ela é capaz de reduzir a transmissão do vírus, o que pode levar à queda de novos casos e, consequentemente, à redução das internações e de mortes.

A cidade foi escolhida considerando os resultados de um inquérito sorológico coordenado pela Prefeitura no ano passado para saber a prevalência do novo coronavírus na população: 10,6% dos 160 voluntários tinham sido infectados e 2,5% estavam com a doença. Outra razão pela qual Serrana foi escolhida: a proximidade com Ribeirão Preto, que fornece estrutura de apoio para a pesquisa.

De qualquer forma, na visão da secretária de Saúde da cidade, Leila Gusmão, a adesão da população de Serrana à vacinação surpreendeu até mesmo a organização do estudo: “Nós imaginávamos que teríamos 60% de adesão e fomos surpreendidos porque, a cada etapa, a gente tem uma adesão de 90%, 92%. Nós estamos bastante felizes, e eu tenho certeza que essa pesquisa vai ser de grande valia para Serrana e para o mundo. A ciência vai contribuir muito com essa pesquisa feita aqui”, afirmou a secretária ao G1.

Campanha de vacinação em Serrana

Serrana, do interior de São Paulo, é a primeira cidade brasileira a encerrar a primeira fase de vacinação contra COVID-19(Imagem: Thirdman/Pexels)

O município foi dividido em quatro regiões: verde, amarela, cinza e azul, com um total de inscritos de 28.380. Enquanto o grupo verde teve 6.225 vacinados de 7.071 inscritos (88%), o grupo amarelo contou com 6.703 vacinados de 6.720 inscritos (99,7%). Por sua vez, o grupo cinza teve 5.847 vacinados de 6.319 inscritos (92,5%), ao que o grupo azul registrou 8.321 vacinados de 8.270 (100,7%). Vale notar que o Instituto Butantan reservou 66 mil doses para a primeira e a segunda aplicação da vacina.

A secretária de Saúde ainda declarou ao veículo que a aplicação da segunda dose está prevista para começar já nesta semana, durando até o fim de abril. “A transmissão do vírus a gente não consegue medir ainda. Como foi feita a primeira dose, a gente ainda não tem essa percepção. A gente imagina que isso vai melhorar com a segunda dose, porque a segunda dose ela vem para diminuir internações nos leitos de UTIs, de enfermaria, sintomas mais leves. É nisso que a gente acredita, é isso que a gente espera. E não pegar de jeito nenhum, na verdade", apontou. Ela acredita que a piora da situação da COVID-19 no Brasil tenha motivado as pessoas a buscarem ainda mais a vacinação.

No fim de janeiro e início de fevereiro, várias cidades brasileiras começaram suas respectivas campanhas de vacinação, voltadas aos grupos prioritários, como profissionais da saúde, indígenas e idosos. Várias delas, inclusive, contam com pré-cadastro online feito pelos integrantes desses grupos. Pensando nisso, chegamos a ensinar como os moradores das capitais brasileiras podem se inscrever nas campanhas de suas cidades.

Fonte: G1

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.