SAIU O RESULTADO DO SORTEIO DO PRÊMIO CANALTECH!CONFERIR
Publicidade

Semaglutida tem efeito secreto contra o câncer, sugere estudo

Por| Editado por Luciana Zaramela | 12 de Maio de 2023 às 14h59

Link copiado!

Towfiqu98/Envato
Towfiqu98/Envato

O uso de remédios com o princípio ativo semaglutida, como Ozempic, tem se popularizado para o tratamento médico do diabetes e também da obesidade no mundo todo. Agora, um pequeno estudo irlândes sugere que o medicamento da classe dos agonistas dos receptores do GLP-1 pode auxiliar na prevenção contra o câncer, por uma via nem um pouco óbvia e quase secreta.

Segundo experimento da Maynooth University, na Irlanda, a semaglutida ajuda a restaurar as funções de um tipo de célula do sistema imunológico em pessoas com obesidade, as células natural killer (NK). Estas são conhecidas por atacar naturalmente tumores e outras células infectadas por agentes infecciosos como primeira linha de defesa do corpo.

Nesse contexto, hipoteticamente, o remédio ajudaria na prevenção e, possivelmente, até no tratamento oncológico. No entanto, o nível de eficácia e de segurança da semaglutida não foi medida. Além disso, nenhum voluntário estava com câncer no período da pesquisa.

Continua após a publicidade

O estudo sobre o impacto da semaglutida no sistema imunológico e a possível ajuda na prevenção do câncer foi publicado na revista científica Obesity. Os resultados também serão apresentados no 30º Congresso Europeu sobre Obesidade (ECO), que acontece no dia 20 de maio em Dublin.

Entenda a possível relação entre a semaglutida e o risco de câncer

Independente da medicação, sabe-se que pessoas com obesidade têm um risco aumentado para alguns tipos de tumores, como o câncer de intestino. Entre os fatores que explicam esta probabilidade, está a função defeituosa das células NK. De forma geral, elas não são tão eficazes quanto em outros grupos de pessoas.

Continua após a publicidade

A partir disso, a equipe de cientistas, liderada por Andrew Hogan, resolveu testar se o uso da semaglutida por seis meses e o tratamento da obesidade restauram as funções do sistema imunológico. No grupo de 20 voluntários obesos recrutados, a estratégia restabeleceu as funções das células NK, independente dos resultados de perda de peso.

Apesar da relação verificada, o estudo é bastante preliminar e pesquisas mais abrangentes ainda são necessárias antes que a causa e o efeito estejam bem estabelecidos. Por outro lado, é um fato que a pesquisa abre um novo precedente sobre os efeitos das medicações para perda de peso na saúde dos pacientes, considerando os fatores de risco para o câncer e a melhora do sistema imunológico.

Fonte: Obesity e Maynooth University