São Paulo registra transmissão comunitária da Ômicron

São Paulo registra transmissão comunitária da Ômicron

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 13 de Dezembro de 2021 às 12h00
kjpargeter/Freepik

O estado de São Paulo registra o primeiro possível caso de transmissão comunitária — quando não é possível rastrear quem transmitiu a doença — da variante Ômicron (B.1.1.529) do coronavírus SARS-CoV-2. Sem viajar para o exterior, um idoso, de 67 anos, foi infectado pela nova cepa do vírus da covid-19, segundo informações divulgadas no sábado (11) pela Secretaria da Saúde (SMS).

"O paciente teve diagnóstico positivo para a covid-19 no dia 7 de dezembro, após realizar um teste de PCR, e sua amostra foi submetida a sequenciamento genético, tendo a Ômicron como resultado", afirmou a SMS, em nota.

Suspeita de transmissão comunitária da variante Ômicron é confirmada no estado de São Paulo (Imagem: Reprodução/Photocreo/Envato)

Agora, a vigilância sanitária do estado investiga o caso e busca possíveis contatos também infectados pela Ômicron. Este é o quarto caso da nova variante registrado oficialmente em São Paulo. Só que diferente dos outros, o paciente contraiu a infecção no Brasil, já que não viajou para o exterior.

Transmissão da Ômicron no estado de São Paulo

Até o momento, não foram compartilhados detalhes sobre a cidade em que o caso da variante Ômicron foi identificado. A SMS informa que o homem recebeu o esquema vacinal completo e uma dose de reforço da vacina da Pfizer/BioNTech contra a covid-19.

Por enquanto, os sintomas da covid-19 relatados pelo idoso são considerados leves e a internação hospitalar não foi necessária. O paciente está isolado em casa, enquanto se recupera. A última atualização sobre o seu estado de saúde é do final de semana.

Importância das vacinas

"Os quatro casos de Ômicron identificados em SP, até o momento, evidenciam manifestação branda da covid-19", informa a SMS. Para as autoridades de saúde do estado, essa manifestação mais leve "pode estar associado ao fato de que todos tinham concluído seu esquema vacinal (ou seja, tinham tomado imunizante de dose única ou duas doses para demais)", explica.

Isso porque, mesmo que as vacinas atuais tenham menor eficácia contra a covid-19, elas ainda podem proteger contra casos graves da infecção, segundo os dados preliminares sobre a resposta imunológica. Pelos casos de São Paulo, a imunização parece ser uma vantagem contra a nova variante da covid-19.

Fonte: O Globo  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.