Rússia autoriza Sputnik Light, vacina de dose única contra COVID-19

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 06 de Maio de 2021 às 13h58
Rawpixel

Por enquanto, a maioria das vacinas disponíveis contra a COVID-19 exigem duas doses. No entanto, a Rússia autorizou o uso de uma vacina de dose única, chamada Sputnik Light. Consiste, basicamente, na primeira dose do imunizante original.

Essa dose demonstrou eficácia de 79,4%, e os dados apontam inclusive uma eficácia contra as novas cepas de coronavírus, conforme demonstrado pelo Gamaleya Center durante os testes de laboratório.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A ideia da Sputnik Light é induzir o desenvolvimento de anticorpos Imunoglobulina G em 96,9% dos indivíduos no 28º dia após a vacinação. Segundo os dados do instituto responsável, a resposta imune celular contra a proteína S do SARS-CoV-2 se desenvolve em 100% dos voluntários no 10º dia. Vale notar que a Sputnik Light é baseada em uma plataforma de vetor adenoviral humano que provou ser segura e eficaz e sem efeitos colaterais de longo prazo, segundo o Gamaleya.

A taxa de eficácia foi calculada com base em dados obtidos de russos vacinados com uma única dose durante a campanha de vacinação em massa entre 5 de dezembro de 2020 e 15 de abril de 2021. A taxa de infecção entre os indivíduos vacinados a partir do 28º dia a partir da data da injeção foi de apenas 0,277%. No mesmo período, a taxa de infecção entre a população adulta não vacinada foi de 1,349%. 

(Imagem: Karolina Kaboompics/Rawpixel)

A Sputnik Light demonstrou, ainda, segurança para todos os indivíduos, incluindo aqueles com imunidade pré-existente ao SARS-CoV-2. “A Sputnik Light ajudará a prevenir a disseminação do coronavírus por meio da imunização mais rápida de grupos populacionais maiores, além de apoiar altos níveis de imunidade em pessoas que já foram infectadas anteriormente”, comentou Kirill Dmitriev, CEO do Russian Direct Investment Fund (RDIF), que financia o desenvolvimento.

“A vacina Sputnik Light reduz significativamente a possibilidade de casos graves que levam à hospitalização, com apenas uma injeção necessária. O regime de dose única resolve o desafio de imunizar grandes grupos em um tempo mais curto, o que é especialmente importante durante a fase aguda da disseminação do coronavírus, alcançando a imunidade coletiva mais rapidamente", acrescentou.

A promessa é que a Sputnik Light custe menos de US$ 10 (R$ 52). No entanto, a vacina de duas doses Sputnik V continua sendo a principal fonte de vacinação na Rússia, enquanto a Sputnik Light será exportada para parceiros internacionais.

Fonte: Sputnik V Newsroom

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.