Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Quem já teve dengue pode pegar de novo?

Por| Editado por Luciana Zaramela | 01 de Fevereiro de 2024 às 17h57

Link copiado!

DC_Studio/Envato Elements
DC_Studio/Envato Elements

Quando pensamos em algumas doenças causadas por vírus, contrair a infecção uma vez é o suficiente para manter a pessoa protegida por toda a vida. Este é o caso da catapora, mas não vale tanto para a dengue. É quando muita gente se pergunta: "posso pegar dengue duas vezes seguidas?"

A reinfecção pela dengue acontece, na verdade, porque o que chamamos de “dengue” não é uma doença causada sempre pelo mesmo “vírus” (DENV). A infecção pode ser provocada por quatro sorotipos diferentes — DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4. Quem foi infectado pelo DENV-2, está imune contra este tipo, mas ainda é suscetível aos outros três.

Para quem já teve dengue no passado, mas adquiriu a dengue através de outro sorotipo, vai ter a doença novamente, reforça Andrea Almeida, médica infectologista do Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE), para o Canaltech. Nestes casos, o risco da infecção evoluir para a forma mais grave, apelidada de dengue hemorrágica, é maior. 

Continua após a publicidade

“A imunidade cruzada para os outros sorotipos após a recuperação [da dengue] é apenas parcial e temporária”, explica artigo da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). Por isso, novas infecções podem ocorrer.

É possível pegar dengue duas vezes

"No Brasil, os quatro sorotipos da dengue estão circulando, mais frequentemente o DENV-1, DENV-2, DENV-3", afirma a infectologista Almeida. Dessa forma, há um risco elevado de uma pessoa contrair a doença pela segunda vez no território nacional, ainda mais considerando que a doença é endêmica por aqui.

Continua após a publicidade

A probabilidade de complicações é sempre maior na segunda infecção, mas não há evidências de que um sorotipo específico esteja associado a uma forma mais grave da dengue na primeira ocorrência.

Prevenção: evite pegar dengue

Com o risco de reinfecção, a infectologista reforça a importância de medidas de prevenção, o que vale tanto para quem nunca teve a doença quanto para os que já foram infectados.

Entre as principais medidas, estão:

Continua após a publicidade
  • Evitar o acúmulo de água parada em casa, em vasos e outros objetos;
  • Usar repelentes contra mosquitos;
  • Adotar medidas extras de proteção ao visitar áreas de risco, como usar roupas com mangas compridas;
  • Tomar a vacina contra a dengue Qdenga, se estiver disponível para a sua faixa etária no Sistema Único de Saúde (SUS).

Na primeira campanha do Ministério da Saúde de vacinação contra a dengue, apenas crianças e adolescentes de 10 a 14 anos estão aptos a receber o imunizante de forma gratuita. Entretanto, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a aplicação em indivíduos de 4 a 60 anos. Por enquanto, este público mais abrangente só pode adquirir o imunizante no sistema privado.

Fonte: Com informações: OPAS