Quanto tempo alguém diagnosticado com a COVID-19 deve ficar em isolamento?

Por Fidel Forato | 27 de Julho de 2020 às 15h45
Bruno Araujo/ Unsplash

No mundo todo, mais de 10 milhões de pessoas já se recuperaram após infecções do novo coronavírus (SARS-CoV-2), segundo a plataforma Worldometer. Grande parte desses indivíduos, inclusive, retornaram as suas atividades diárias, como o convívio com a família e, eventualmente, o trabalho. No entanto, qual é o tempo mínimo para isso acontecer, sem o risco de transmissão da COVID-19?

De acordo com as novas instruções dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) - agência de saúde dos Estados Unidos - divulgadas ontem (26), o tempo mínimo de quarentena para pacientes diagnosticados com o novo coronavírus é de pelo menos 10 dias. Esse é o intervalo de tempo recomendado para pessoas que foram diagnosticadas com casos leves ou moderados da COVID-19.

É importante entender que o isolamento é diferente das medidas de distanciamento social, onde a pessoa pode sair na rua e ir ao mercado, por exemplo, usando máscaras de proteção e sempre que possível higienizando as mãos. O doente, em isolamento, com a COVID-19, deve: ficar sozinho, sem contato com outras pessoas (exceto médicos, profissionais da saúde) e, se possível, distantes dos familiares; não compartilhar itens pessoais, como xícaras e toalhas; se for viável, usar sempre um banheiro separado.

Para evitar contaminação, pacientes com casos leves e moderados da COVID-19 devem se isolar por pelo menos 10 dias (Imagem: reprodução/ Pixabay) 

Nessas condições, os pacientes com casos leves e moderados do coronavírus devem permanecer por pelo menos 10 dias, após identificar os primeiros sintomas da COVID-19. Depois disso, ainda é preciso observar (para interromper o isolamento) a ausência de febre por pelo menos 24 horas. Isso sem utilizar nenhuma medicação para redução da febre.

Os novos parâmetros representam mudanças nas orientações da CDC que estavam em vigência desde abril. Anteriormente, o tempo mínimo de isolamento era sete dias no lugar dos atuais 10 dias para os casos mais leves e moderados da COVID-19. Por outro lado, na primeira orientação, o paciente deveria estar sem febre por 72 horas e, agora, são apenas 24 horas para a retomada.

Casos assintomáticos

Tanto nos casos leves quanto nos moderados da COVID-19 há sintomas para se identificar e acompanhar a evolução da doença. O que leva a seguinte questão: qual deve ser o tempo de isolamento para os pacientes assintomáticos, ou seja, aqueles sem sintomas do novo coronavírus? Nesse caso, também vale a regra dos 10 dias de espera, a partir do resultado dos exames.

"Se o teste estiver disponível em sua comunidade, o seu médico pode recomendar que você se submeta repetidamente aos testes da COVID-19 para encerrar seu isolamento mais cedo", esclarece os CDC. "Nesse caso, você pode estar perto de outras pessoas depois de receber dois resultados negativos em testes seguidos, a partir de testes feitos com pelo menos 24 horas de intervalo", completa as orientações para os quadros assintomáticos. A realização de testes, como esse, também pode ser aplicada a todas as situações para a retomada do contato social, antes do tempo mínimo.

Casos mais graves

Agora, se o quadro de uma paciente com a COVID-19 for mais grave ou o paciente integrar algum dos grupos de riscos, essa pessoa poderá permanecer contagiosa por mais de 10 dias. Nesses casos, o que vale é a orientação do próprio médico, isso porque o paciente, provavelmente, estará internado em um hospital e, até mesmo, dependendo de oxigênio. "Seu médico pode recomendar que você fique isolado por mais de 10 dias após o aparecimento dos sintomas (possivelmente até 20 dias) e você pode ser necessário terminar o período de isolamento em casa",  orienta os CDC.

Entretanto, a agência de saúde compreende que o coronavírus é tão novo que os médicos e pesquisadores ainda estão reunindo evidências de seu funcionamento. À medida que mais dados são disponibilizados, a comunidade médica pode divulgar novas diretrizes para se agir.

No Brasil

Quanto as orientações do fim do isolamento individual no Brasil, vale as indicações do médico responsável. De forma mais ampla, o governo federal publicou uma portaria, em junho, com orientações para a atividade de empresas e de órgãos públicos, incluindo a retomada de profissionais infectados pelo novo coronavírus. De acordo com o texto, quem for diagnosticado com o coronavírus deve ser afastado de suas atividades presenciais por 14 dias, "devendo ser apresentado documento comprobatório".

Nesses casos, os trabalhadores afastados só poderão retornar à organização antes do período determinado de afastamento, quando o exame laboratorial descartar a COVID-19, de acordo com as orientações do Ministério da Saúde, e também estarem assintomáticos por mais de 72 horas. Essa recomendação de pelo menos 14 dias se baseia no período de incubação do coronavírus, com base nos estudos realizados até o momento.

Fonte: CDCForbes    

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.