Por que nossos cérebros têm tantas dobras?

Por que nossos cérebros têm tantas dobras?

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 24 de Agosto de 2021 às 15h30
twenty20photos/envato

O cérebro segue sendo um dos maiores mistérios do corpo humano, com cada vez mais descobertas vindo à tona. No entanto, você já parou para pensar por que o formato do cérebro é tão peculiar, com suas dobrinhas intermináveis?

O que acontece, segundo especialistas da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, é que o córtex (a superfície externa do cérebro, coloquialmente conhecida como massa cinzenta) se expande e dobra conforme nosso cérebro se desenvolve no útero.

(Imagem: Robina Weermeijer/Unsplash)

Na prática, essa expansão faz com que a pressão aumente na superfície externa. É como empurrar uma das extremidades de um pedaço de borracha. Em algum ponto, a superfície se dobrará em resposta ao aumento da pressão. Essas ​​dobras permitem que os humanos acumulem mais neurônios, o que, por sua vez, pode significar cérebros mais avançados com habilidades cognitivas aumentadas.

E veja só: os cérebros da maioria dos animais não são cheios de dobras. O córtex de camundongos e ratos, por exemplo, não se expande o suficiente durante o desenvolvimento para causar dobras, o que significa que seus cérebros são superfícies totalmente lisas. Essas dobras tende a ocorrer em animais com cérebros maiores, mas os especialistas ressaltam que alguns mamíferos grandes como o peixe-boi têm muito menos dobras do que os pesquisadores esperariam com base no tamanho de seus cérebros.

Fonte: Live Science

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.