Por que existe dor de cabeça, se o cérebro não sente dor?

Por que existe dor de cabeça, se o cérebro não sente dor?

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 24 de Maio de 2022 às 08h30
rawpixel.com/Freepik

Estar com dor de cabeça é uma expressão bastante vaga e não indica o local exato da dor, embora isso possa parecer muito estranho. Na verdade, o cérebro apenas sente os sinais de dor que foram captados, mas ele mesmo não tem terminações nervosas (receptores) que são capazes de captar a dor.

"O próprio cérebro não sente dor. Isso foi demonstrado em procedimentos neurocirúrgicos, nos quais a estimulação do próprio tecido cerebral em pacientes acordados não causou dor", explica a médica Nish Manek, formada no Imperial College London, no Reino Unido, para a revista Science Focus.

O cérebro não sente dor, então, a dor de cabeça não indica a dor neste exato local, mas sim no seu entorno (Imagem: Twinsterphoto/Envato)

Por que existe dor de cabeça?

"Embora o cérebro não tenha nociceptores, muitas outras estruturas em nossa cabeça têm, incluindo vasos sanguíneos, músculos e nervos no pescoço, rosto e couro cabeludo. Dores de cabeça são causadas por problemas com essas estruturas", afirma Janet Bultitude, cientistas e professora de psicologia na Universidade de Bath, em artigo para o site The Conversation.

Aqui, vale explicar que nociceptores são aqueles receptores que poderiam fazer com que sentíssemos dores no cérebro. Estes são terminações nervosas receptoras de dor que estão na pele, nas articulações ou ainda em alguns órgãos internos.

Diferentes tipos de dores de cabeça

Inclusive, diferentes tipos de nociceptores podem ser ativados por mudanças na pressão, danos físicos, temperaturas extremas e alguns produtos químicos, como a capsaicina — este é o ingrediente ativo das pimentas. Dependendo que qual tipo de receptor é ativado, uma forma divergente de dor de cabeça será sentida.

Por exemplo, "a desidratação causa dores de cabeça por irritar os vasos sanguíneos na cabeça e é uma das razões para a cabeça latejante que muitos experimentam após uma noite de bebedeira", explica a pesquisadora Bultitude. Agora, forçar demais o maxilar ou ranger os dentes (bruxismo), enquanto dorme, também podem causar um outro tipo de cefaleia.

As enxaquecas podem ser confundidas com um tipo de dor de cabeça, mas a causa exata ainda não é conhecida pela ciência. Uma das hipóteses é que tenha relação com a ativação de receptores nas meninges, ou seja, as membranas que cobrem o cérebro e a medula espinhal. No entanto, mais estudos precisam investigar os elementos associados a ela e suas implicações.

De forma geral, o termo dor de cabeça (ou cefaleia, como dizem os médicos) é muito genérico e entender suas causas nem sempre é uma tarefa simples, já que pode demandar análises multidisciplinares.

Realmente não há nenhuma relação com o cérebro?

Apesar da dor de cabeça não indicar um problema, de fato, no cérebro, a condição pode indicar a existência de um possível problema na região e deve ser investigado, principalmente quando é muito frequente, altamente limitante ou quando não melhora com a ajuda de medicamentos.

Nesses casos atípicos, Bultitude lembra quem "podem ser sinais de um problema grave no cérebro, como um tumor, sangramento ou infecção. Embora esses problemas causem dor, não é pela ativação de nociceptores no próprio cérebro — já que ele não os tem —, mas porque o cérebro incha e pressiona outras estruturas na cabeça".

Fonte: Science Focus e The Conversation  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.