Pesquisadores descobrem 24 novos genomas de coronavírus em morcegos na China

Pesquisadores descobrem 24 novos genomas de coronavírus em morcegos na China

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 11 de Junho de 2021 às 17h30
rigel/Unsplash

Muito se tem investigado acerca da origem da COVID-19. E na última quinta-feira (10), pesquisadores da Universidade de Shandong (China) anunciaram a descoberta de novos coronavírus em morcegos, incluindo um que pode ser o segundo mais próximo, geneticamente, do vírus responsável pela doença que tem preocupado a população mundial.

Essa descoberta, que aconteceu na província de Yunnan, no sudoeste da China, pode revelar quantos coronavírus existem em morcegos e quantos têm potencial para se espalhar para os seres humanos. Para isso, o grupo coletou amostras de urina, fezes e saliva de pequenos morcegos que viviam na floresta entre maio de 2019 e novembro de 2020.

Os pesquisadores contam que, no total, reuniram 24 novos genomas de coronavírus de diferentes espécies de morcegos, incluindo quatro semelhantes ao SARS-CoV-2, sendo que um era muito semelhante, geneticamente, ao que está causando a pandemia. Trata-se de uma amostra viral chamada RpYN06 retirada de uma espécie de morcego-ferradura chamada Rhinolophus pusillus. A cepa em questão se difere do SARS-CoV-2 apenas por questões genéticas na proteína spike.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Pesquisadores chineses encontram 24 novos genomas de coronavírus em morcegos (Imagem: Signe Allerslev/Pixabay)

Os pesquisadores contam que os morcegos são hospedeiros reservatórios bem conhecidos para uma variedade de vírus que causam doenças graves em humanos e têm sido associados a transbordamentos de vírus Hendra, vírus Marburg, Ebola e, mais notavelmente, coronavírus. Em 2017, pesquisadores em uma caverna em Yunnan encontraram vírus muito próximos geneticamente ao vírus SARS em uma espécie chamada morcegos-ferradura. O relatório completo pode ser acessado aqui.

Fonte: CNN

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.