OMS solicita mais dados de segurança e eficácia da vacina Covaxin contra covid

OMS solicita mais dados de segurança e eficácia da vacina Covaxin contra covid

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 19 de Outubro de 2021 às 13h40
e_mikh/envato

Na segunda-feira (18), a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que ainda aguarda mais detalhes sobre os estudos clínicos da vacina Covaxin, desenvolvida pela farmacêutica indiana Bharat Biotech, contra covid-19. Após a análise completa das informações sobre segurança e eficácia, é que poderá ser concedida a autorização de uso emergencial da fórmula.

"Estamos cientes que muitas pessoas estão esperando a recomendação da OMS para a Covaxin (da Bharat Biotech) ser incluída na Lista de Uso Emergencial, mas não podemos pular etapas — antes de recomendar um produto para uso emergencial, devemos avaliá-lo cuidadosamente para ter certeza de que é seguro e eficaz", afirmou a OMS, nas redes sociais.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Autorização da OMS pode mudar aceitação da Covaxin no globo

Caso as informações complementares sejam enviadas e o imunizante contra a covid-19 seja aprovado pelos pesquisadores da organização, a vacina Covaxin poderá entrar na Lista de Uso Emergencial da OMS. Dessa forma, a fórmula deverá somar no COVAX Facility, programa desenvolvido para tornar o acesso de vacinas mais igualitário no mundo. 

OMS aguarda mais detalhes de ensaio clínico para autorizar a vacina Covaxin contra a covid-19 (Imagem: Reprodução/Ha4ipuri/Envato)

Além disso, a eventual aprovação da OMS deve facilitar que outros países autorizem a vacina de duas doses contra a covid-19. Por exemplo, no Brasil, o imunizante não chegou a ter a autorização concedida pela Agência Nacional de vigilância Sanitária (Anvisa).

Enquanto isso, na Índia, a vacina Covaxin é indicada também para o uso emergencial em crianças com dois anos ou mais. A autorização para o uso pediátrico do imunizante foi concedida neste mês.

Fonte: Economic Times e Agência Brasil  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.