OMS e CDC entram em divergência sobre uso de máscara após vacinação

OMS e CDC entram em divergência sobre uso de máscara após vacinação

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 01 de Julho de 2021 às 09h40
sergign/Envato

Muitas pessoas já estão se vacinando contra a COVID-19, mas uma questão que vem à mente é a necessidade de usar máscara mesmo após a imunização completa, isto é, respeitando o prazo exigido pelas fórmulas até que o organismo fabrique anticorpos. Na última sexta (25), a Organização Mundial da Saúde fez um comunicado apontando que as pessoas totalmente vacinadas devem continuar usando máscara para conter a propagação do vírus, incluindo as novas variantes.

No entanto, a recomendação da OMS contradiz a do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC). O site do CDC atualmente informa que as pessoas totalmente vacinadas podem parar de usar máscaras e que grupos de pessoas podem se reunir em determinados lugares.

"Ainda vivemos em um mundo que está apenas parcialmente vacinado e que tem muita vulnerabilidade. Então, o que estamos dizendo é que, uma vez que você tenha sido totalmente vacinado, continue em segurança, porque você pode não estar totalmente protegido. Uma vez que você for vacinado, pode reduzir algumas medidas e diferentes países têm recomendações distintas a esse respeito, mas ainda há necessidade de cautela", aponta a OMS no comunicado.

"Pessoas totalmente vacinadas podem retomar as atividades sem usar máscaras ou se distanciar fisicamente, exceto quando exigido por leis. Por enquanto, as pessoas totalmente vacinadas devem continuar a fazer o teste se apresentarem sintomas da COVID-19 e seguir os requisitos e recomendações de viagens do CDC e do departamento de saúde", aponta o CDC, em contrapartida. 

O que dizem os especialistas?

(Imagem: engy91/Envato)

No último dia 11, o Canaltech conversou com médicos e ouviu que ainda é necessário o uso de máscaras como medida para barrar a transmissão da doença. Na ocasião, ressaltamos que a situação epidemiológica da COVID-19 é bastante diferente nos EUA e no Brasil, principalmente quando se observa a porcentagem de imunização da população: a meta do presidente norte-americano Joe Biden é vacinar 70% da população adulta contra a COVID-19 até o dia 4 de julho, enquanto no Brasil apenas 35% da população recebeu ao menos uma dose da vacina e apenas 12% completaram seu regime de imunização.

Fonte: CDC, OMS via Cnet

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.