Ômicron faz casos de covid-19 dobrarem no mundo na última semana

Ômicron faz casos de covid-19 dobrarem no mundo na última semana

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 03 de Janeiro de 2022 às 19h17
CDC/Unsplash

A variante Ômicron foi responsável por um aumento significativo nos casos de covid-19 no mundo: entre 26 de dezembro e 2 de janeiro, o número de pessoas diagnosticadas com a doença simplesmente dobrou em relação à semana anterior. Ao todo, foram 10,1 milhões de casos dentro do período, contra 5,7 milhões na outra semana.

Um vislumbre otimista da situação atual da pandemia é que o número de mortes semanais caiu de 45,2 mil para 43,2 mil nos últimos sete dias, mas ainda não há uma informação concreta em torno da letalidade da cepa. Entenda como está a situação em cada continente:

África

O continente africano apresenta, atualmente, um número baixo de casos da doença. Na África do Sul, primeiro país a detectar a Ômicron, a média diária de mortes chegou a 66 no último dia 26.

América do Norte

Já na América do Norte, os casos cresceram 105% entre 26 de dezembro e 2 de janeiro, em relação à semana anterior. Foram mais de 3,15 milhões de casos registrados nos últimos sete dias. Os EUA marcam 400 mil casos diários e 1,3 mil mortes, número bem menor se compararmos com o início de 2020, onde a média de óbitos chegou a ultrapassar 3,4 mil. No Canadá, foram registradas mais de 233 mil infecções na última semana.

Europa

A Europa é o atual epicentro da pandemia: foram mais de 5,36 milhões de casos na semana passada. Para se ter uma ideia, o Reino Unido alcançou uma média 192 mil casos por dia, por exemplo. Com a chegada da Ômicron, diversos países europeus tornaram mais rígidas as restrições sanitárias.

Ômicron dobra casos de covid-19 no mundo (Imagem: photocreo/Envato)

Ásia

A situação na Ásia também preocupa os especialistas, uma vez que a China enfrentou o maior número de diagnósticos semanais desde o início de 2020. No último domingo (2), a capital do Japão registrou o maior número de casos diários de covid-19 desde outubro.

Oceania

Na Oceania, os casos também crescem exponencialmente: entre 26 de dezembro e 2 de janeiro, os diagnósticos semanais passaram de 56,6 mil para 184 mil. Na Ásia, por sua vez, a Ômicron ainda permanece sob relativo controle, mas há sinais de que a transmissão comunitária também é veloz.

América Latina

Na América Latina, os casos aumentaram 176%, uma vez que o número chegou a 434,5 mil, em comparação com 157 mil na semana anterior.

Brasil

No Brasil, o número de casos cresceu118% na mesma quinzena. A média móvel está em 7.628, atualmente. Em entrevista à CNN, o infectologista Marcelo Otsuka, da Sociedade Brasileira de Infectologia, estimou que pelos próximos 15 dias, a variante Ômicron do coronavírus pode chegar ao pico.

O especialista aponta que a baixa testagem no Brasil pode dificultar a identificação de casos da Ômicron. “O Brasil ainda testa muito pouco. Temos uma taxa de positividade de 38%, e esses países têm uma taxa de 8%. Podemos perder muitos diagnósticos, pode haver novas variantes e pessoas mais suscetíveis a terem quadros mais graves”, apontou, na ocasião. Sob seu ponto de vista, não é o momento para reduzir as medidas de proteção.

Fonte: O Globo, CNN

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.