Ômicron: 2 doses da Pfizer ou da AstraZeneca induzem menos anticorpos

Ômicron: 2 doses da Pfizer ou da AstraZeneca induzem menos anticorpos

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 13 de Dezembro de 2021 às 13h20
photocreo/envato

Segundo um estudo da Universidade de Oxford publicado no último sábado (11), duas doses das vacinas da AstraZeneca ou da Pfizer induzem níveis mais baixos de anticorpos neutralizantes contra a variante Ômicron. O artigo ainda alerta que a nova cepa tem o potencial para levar a uma nova onda de infecções, inclusive entre as pessoas já vacinadas contra a covid-19.

O estudo — que ainda não foi revisado — contou com amostras de sangue de indivíduos já vacinados com duas doses de uma das farmacêuticas em questão, e então mediu o nível de anticorpos neutralizantes gerados em resposta à vacinação. No entanto, os próprios pesquisadores ressaltam que essa eficácia fica maior com uma terceira dose.

“Esses dados podem ajudar aqueles que estão desenvolvendo estratégias de vacinação a determinar os caminhos para melhor proteger a população e transmitir a mensagem de que pessoas suscetíveis à dose de reforço devem tomá-la", aponta o principal autor do estudo, Gavin Screaton. O pesquisador ressalta que, embora não haja evidência de aumento do risco de doença grave ou inativação do vírus entre vacinados, é preciso manter cautela mesmo assim.

Duas doses da Pfizer ou da AstraZeneca induzem menos anticorpos contra Ômicron (Imagem: Fusion Medical Animation/Unsplash)

Matthew Snape, outro pesquisador envolvido no estudo, reconhece que os dados obtidos são importantes, mas ainda há o que se pesquisar. "[Os dados] só examinam os anticorpos neutralizantes após a segunda dose, mas não nos falam sobre a imunidade celular, e isso também será testado em amostras armazenadas assim que os testes estiverem disponíveis", garante.

Fonte: MedRxiv via Oxford University

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.