O que são doenças crônicas, autoimunes e infecciosas?

Por Fidel Forato | 25 de Novembro de 2020 às 18h40
Javier Matheu/ Unsplash

Mesmo quem não se interessa muito por assuntos de saúde, provavelmente já escutou falar o nome de algumas doenças infecciosas, como a COVID-19 e a gripe, e o de algumas doenças autoimunes, como a lúpus ou a esclerose múltipla. Além desses dois tipos fundamentais, o quadro de um paciente ainda pode ser crônico, ou seja, sem uma cura possível (ainda). São diferentes situações que podem, até mesmo, se mesclar e se confundir, dependendo da doença. 

Afinal, o organismo humano é uma máquina complexa e ele próprio pode ser o causador de uma série de doenças. Para entender esses diferentes tipos de doenças que podem acometer o corpo e suas causas, o Canaltech conversou com a médica Bruna Savioli, reumatologista da BP (a Beneficência Portuguesa de São Paulo) e mestra em reumatologia pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Diferentes tipos de doenças podem afetar o organismo, como as infeciosas e as autoimunes (Imagem: National Cancer Institute/ Unsplash)

Qual é a diferença entre doenças autoimunes e infecciosas?

"As doenças autoimunes são relacionadas, normalmente, à produção de anticorpos e outros componentes do sistema imune, de defesa, que passam a agredir o organismo do paciente. Em condições normais, as células do corpo humano sabem reconhecer o que é próprio do organismo e, quando encontram um agente desconhecido —  por exemplo, um vírus ou uma bactéria —, essas células passam a produzir a inflamação", explica Savioli.

Vele explicar que uma inflamação é uma resposta do corpo a um agente infeccioso, a partir da produção de células de defesa e toxinas para combater o invasor. Normalmente, é uma medida benéfica para a proteção do organismo. "Nas doenças autoimunes, as células perdem a capacidade de reconhecer o que é próprio, sendo assim, há produção de inflamação e de toxinas para combate de células do próprio organismo", completa a médica.

Quando essa resposta é exagerada ou contínua, o indivíduo começa a apresentar problemas de saúde, em diferentes graus, e vai ficando debilitado, caso não haja tratamento ou controle do quadro. Pensando nas doenças autoimunes mais comuns, o lúpus eritematoso sistêmico (LES) e a artrite reumatoide são exemplos bem comuns.

"Nas doenças infecciosas, então, há a presença desse agente causal — vírus, bactérias e protozoários — e, portanto, existe um estímulo externo que gera a inflamação. Interessante, porém, é citar que algumas doenças infecciosas podem funcionar como gatilhos para o desenvolvimento de manifestações autoimunes, como, por exemplo, a chikungunya", explica a reumatologista.

Tanto doenças autoimunes quanto infeciosas podem se tornar crônicas (Imagem: Darko Stojanovic/Pixabay)

Por que uma pessoa desenvolve uma doença autoimune?

Como explicado, uma doença autoimune acontece quando o próprio sistema imunológico ataca, por engano, tecidos saudáveis do próprio corpo. Entretanto, o que leva a esse quadro? "São diversos os motivos relacionados. De forma geral, existem fatores genéticos e ambientais envolvidos. Dessa forma, a presença de história familiar positiva, pode aumentar as chances de um individuo desenvolver LES ou artrite reumatoide", afirma a médica Savioli.

Entre os hábitos considerados de risco, por exemplo, o tabagismo pode desencadear o desenvolvimento de anticorpos causadores da artrite reumatoide. "Considerando outros fatores, ainda, a presença de hormônios sexuais femininos está relacionada com o desenvolvimento do LES. E alguns agentes infecciosos podem funcionar como um gatilho no desenvolvimento dos anticorpos relacionados a doenças autoimunes", ressalta a médica.

O que faz uma doença ser considerada crônica?

"Tanto doenças autoimunes quanto doenças infecciosas podem se perpetuar", o que faz delas doenças crônicas, define Savioli. No caso das autoimunes, isso acontece porque, na maioria das vezes, não existe um tratamento capaz de impedir a produção dos autoanticorpos e a cura. "No entanto, é importante destacar que não significa que as doenças autoimunes não tenham tratamento. Existem excelentes opções hoje em dia para tratamento de doenças autoimunes", ressalta a reumatologista.

Entre as principais doenças autoimunes que podem se tornar crônicas, estão: lúpus; artrite reumatoide; vasculites sistêmicas; e outras colagenoses (doença mista do tecido conjuntivo, esclerodermia sistêmica, síndrome de sjögren).

"Já no caso das doenças infecciosas, podemos citar como grandes exemplos de doença infecciosa crônica a tuberculose e a hepatite C. Tais doenças se cronificam em pacientes com sistema imune debilitado e sem tratamento. Nesses casos, o tratamento adequado dos pacientes impede a cronificação do quadro", completa a médica. Um outro conhecido exemplo é a infecção pelo vírus do HIV que, mesmo incurável, pode ser controlada, garantindo uma vida saudável ao paciente.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.