Publicidade

Jogadores de futebol enfrentam risco de pior saúde cerebral aos 65 anos

Por| Editado por Luciana Zaramela | 09 de Dezembro de 2022 às 14h59

Link copiado!

Emilio Garcia/Unsplash
Emilio Garcia/Unsplash

Um estudo chamado Screening Cognitive Outcomes after Repetitive Head Impact Exposure (também conhecido pela sigla SCORES) lançou um alerta sobre jogadores de futebol: uma chance mais alta de chegar a piores condições de saúde cerebral aos 65 anos de idade, em comparação com outras pessoas.

Para chegar a essa descoberta, a equipe de cientistas analisou a situação de 75 ex-jogadores de futebol. Os participantes tiveram um resultado satisfatório na faixa dos 40 a 50 anos, mas esse desempenho decaiu nos indivíduos acima dos 65.

O projeto SCORES é um estudo de pesquisa independente projetado para entender melhor a saúde cognitiva dos atletas à medida que envelhecem. Os pesquisadores reconhecem que esse público corre maior risco de neurodegeneração, mas futuras análises devem servir para compreender mais a fundo esses perigos.

Continua após a publicidade

Com isso, a ideia é investigar a taxa de declínio cognitivo em ex-jogadores profissionais, em comparação com a média das pessoas saudáveis.

Com isso, a equipe se concentrou em sinais precoces de disfunção cognitiva que pudessem ser identificados antes de qualquer sintoma perceptível de condições como a demência. Os pesquisadores ressaltam que esse desempenho pior no tempo de reação, na função executiva e no senso de espaço são sinais de alerta precoce para a deterioração da saúde do cérebro.

A conclusão do estudo é que o futebol pode ser positivo para o cérebro, mas traz efeitos negativos a longo prazo. Uma das teorias envolve a concussão, uma lesão traumática que afeta a função cerebral e geralmente é causada por uma pancada na cabeça.

Continua após a publicidade
O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Os sinais e sintomas de uma concussão podem durar dias, semanas ou até mais, e incluem dor de cabeça, zumbido nos ouvidos, náusea, vômito, fadiga ou sonolência, visão embaçada e tontura.

Tendo isso em mente, o Projeto SCORES conta até mesmo com um Programa de Ação de Concussão, cuja a ideia é aumenta a conscientização sobre concussão e reduzir os riscos relacionados a essa consequência em jogadores de futebol.

Fonte: Screening Cognitive Outcomes after Repetitive Head Impact Exposure via BBC News