Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Janeiro Branco | Níveis baixos de testosterona causam depressão?

Por| Editado por Luciana Zaramela | 17 de Janeiro de 2023 às 18h16

Link copiado!

ollyi/envato
ollyi/envato

Neste mês, celebramos a campanha do Janeiro Branco, em que se levanta a conscientização sobre a saúde mental. A depressão é uma das principais condições emocionais que abala parte da população, e quanto mais pudermos entender as possíveis causas, melhor. Uma dessas possibilidades, levantada por alguns artigos científicos, é o baixo nível de testosterona.

Segundo um estudo publicado na revista Psychosomatics, os níveis de testosterona tendem a diminuir normalmente à medida que se envelhece, mas também podem flutuar por vários motivos, e essas mudanças podem afetar o humor de maneiras diferentes. As causas podem incluir estresse, falta de sono, mudanças na dieta, envelhecimento e aumento ou diminuição da atividade física.

O que é testosterona

Continua após a publicidade

Antes de tudo, é preciso entender melhor sobre o que é a testosterona. Basicamente, é um andrógeno (hormônio masculino) produzido preferencialmente nos testículos e responsável pela diferenciação sexual (características próprias ao sexo).

Isso significa que é ela quem desperta o instinto da reprodução da espécie e promove o desejo sexual, e sua deficiência está relacionada a diminuição do libido e dificuldade na ereção. O hormônio em questão contribui para funções corporais que incluem força muscular, densidade óssea, distribuição de gordura corporal e produção de esperma.

Baixa testosterona gera depressão?

Segundo o médico urologista, ter taxas baixas de testosterona pode ocasionar mudanças no humor e comportamento, podendo precipitar a depressão em pessoas que já sejam propensas. O especialista explica que a depressão e suas consequências nos hábitos cotidianos e alimentares podem mudar uma série de hormônios e substâncias no nosso organismo, inclusive a testosterona. Porém, poucos terão uma redução em nível patológico. Vale entender, inclusive, que a depressão não é tratada com testosterona, mas sim com antidepressivos.

O profissional da saúde esclarece que muitos sintomas de depressão são parecidos com os da deficiência androgênica, como cansaço, fadiga, perda de libido, ganho de peso e desânimo para atividades habituais. A diferença é encontrada, normalmente, em exames clínicos e laboratoriais.

Dr. Heleno afirma que a saúde mental poderá ser beneficiada com a terapia de reposição de testosterona, nos casos em que a doença mental estiver associada a duas ou mais medições laboratoriais de testosterona abaixo da normalidade. Por fim, a recomendação é manter uma vida sexual ativa para manter o bem-estar e ajudar na saúde, seja ela física ou mental.

Fonte: Com informações de Healthline, Health Essentials, Psychosomatics