Italiano vacinado é contaminado pela variante brasileira do coronavírus

Por Fidel Forato | 21 de Fevereiro de 2021 às 17h00
Fernando Zhiminaicela/Pixabay

Com o surgimento de novas variantes do coronavírus SARS-CoV-2, pesquisadores voltam a investigar a eficácia de cada vacina contra a COVID-19 para cada uma delas, já que a taxa de proteção deve diminuir dependendo das mutações encontradas. Neste cenário, um profissional de saúde italiano foi contaminado pela cepa descoberta em Manaus (a variante P.1), no estado do Amazonas, após receber as duas doses do imunizante da Pfizer-BioNTech.   

No entanto, o profissional do hospital italiano da comuna de Áquila é assintomático e está em isolamento domiciliar. A infecção pelo coronavírus só foi identificada porque o paciente realizou um exame de rotina, devido ao risco de exposição, no Instituto de zooprofilaxia experimental de Abruzzo e Molise.

Variante brasileira do coronavírus contamina italiano vacinado contra a COVID-19 (Imagem: Reprodução/ Wirestock/ Freepik)

Vacina da Pfizer protege contra a variante brasileira?

Com quadro assintomático para a infecção pelo coronavírus, as autoridades sanitárias da Itália acreditam que a vacina da Pfizer-BioNTech pode ter protegido o paciente contra sintomas graves da doença. No entanto, avaliações detalhadas ainda estão em andamento. Amanhã (20), acontecerá uma reunião entre as autoridades de saúde e a prefeita do município, Cinzia Torraco, para debater o caso.

Afinal, as vacinas contra a COVID-19 disponíveis hoje ainda não foram testadas contra as novas variantes do coronavírus, mais especificamente a de Manaus. Em janeiro, a farmacêutica norte-americana Pfizer afirmou que o imunizante era eficaz contra uma mutação-chave, chamada N501Y, encontrada em duas das novas cepas: a do Reino Unido e da África do Sul. No entanto, o estudo não englobou a brasileira.

Paciente não viajou para o Brasil

O paciente foi contaminado pela cepa brasileira em território italiano, já que não viajou durante o período. Segundo relatos, ele teria contraído a variante do coronavírus de sua mãe, após a família registrar um surto com pelo menos seis casos positivos da COVID-19. Agora, os médicos analisam o genoma das amostras coletadas para verificar se as pessoas também foram contaminadas com a variante brasileira.

Outra comuna da região, a Poggio Picenze, também registrou outros três casos da infecção pela cepa brasileira do coronavírus nos últimos dias. No entanto, os pacientes contaminados eram três brasileiros residentes da região central do lugar.


 

Fonte: Uol e Abruzzo Live  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.