Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Infartos são mais comuns às segundas-feiras, revela estudo

Por| Editado por Luciana Zaramela | 06 de Junho de 2023 às 14h17

Link copiado!

Ckstockphoto/Envato Elements
Ckstockphoto/Envato Elements

Um curioso estudo irlandês descobriu que casos graves de infarto agudo do miocárdio são mais comuns às segundas-feiras. No total, os dados foram coletados por mais de cinco anos em hospitais da região. O porquê dessa relação ainda é desconhecida, mas a evidência sobre os ataques cardíacos no começo da semana deve servir de alerta para os serviços locais de emergência médica.

“Agora, precisamos desvendar o que há em certos dias da semana que os tornam mais prováveis [para o infarto]”, afirma Nilesh Samani, diretor médico da British Heart Foundation (BHF), em nota. “Isso deve ajudar os médicos a compreenderem melhor essa condição mortal e fazer com que possamos salvar mais vidas no futuro”, acrescenta.

Os resultados do estudo foram anunciados, oportunamente, na última segunda-feira (5), durante a conferência anual da British Cardiovascular Society (BCS), na Inglaterra. A pesquisa completa ainda não foi publicada em nenhuma revista científica.

Continua após a publicidade

Risco de ataque cardíaco no Brasil

Antes de seguir, vale mencionar que o infarto agudo do miocárdio é uma causa de morte bastante comum no mundo. Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil registra entre 300 a 400 mil casos anuais de ataque cardíaco. Em média, é um óbito para cada cinco ou sete casos.

O desfecho do caso está intimamente ligado ao atendimento de emergência médica nos primeiros minutos, o que aumenta significativamente a probabilidade da pessoa ser salva. O procedimento mais comum nesses casos graves é a angioplastia de emergência, que “reabre” a artéria coronária (artéria do coração) entupida, liberando o fluxo sanguíneo. 

Infarto do miocárdio e a “temida” segunda-feira 

O estudo que relaciona a segunda-feira com o pico de casos mais graves de infarto na Irlanda e na Irlanda do Norte foi desenvolvido por pesquisadores do Belfast Health and Social Care Trust e do Royal College of Surgeons, entre os anos de 2013 e 2018.

No total, a equipe analisou dados de mais de 10,5 mil pacientes que foram internados no hospital em decorrência de um ataque cardíaco por mais de cinco anos. Especificamente, só foram incluídos casos de Infarto Agudo do Miocárdio com Supradesnivelamento do ST (Iamcsst), que é um dos tipos mais graves da condição.

No geral, foi possível identificar o aumento nas taxas de ataques cardíacos do tipo no início da semana de trabalho, mas as taxas mais altas eram observadas exclusivamente às segundas-feiras.

Continua após a publicidade

“A causa provavelmente é multifatorial, no entanto, com base no que sabemos de estudos anteriores, é razoável presumir um elemento [envolvido com o ritmo] circadiano”, sugere Jack Laffan, do Belfast Health and Social Care Trust. Apesar da suspeita, defende a necessidade de mais estudos sobre a questão.

Conheça os fatores de risco para o infarto do miocárdio

Oficialmente, a segunda-feira não é um fator de risco para os infartos, já que os dados foram recolhidos exclusivamente em uma população europeia e faltam evidências dessa correlação no Brasil, por exemplo.

Hoje, estes ainda são os principais fatores de risco, segundo o Ministério da Saúde:

Continua após a publicidade
  • Estresse em excesso;
  • Tabagismo;
  • Sedentarismo;
  • Colesterol alto;
  • Alimentação não saudável.

Cabe destacar que esses hábitos são associados com outras doenças e condições, além do infarto, como hipertensão, Acidente Vascular Cerebral (AVC), obesidade, diabetes e depressão. Inclusive, o Canaltech já compartilhou um especial sobre como mudar hábitos que estão associados com as doenças cardíacas, destacando alimentos que podem ser incluídos na dieta e a importância do sono.

Fonte: British Heart Foundation e Ministério da Saúde