Publicidade

Garrafinha de água é paraíso para micróbios; saiba como higienizá-la

Por| Editado por Luciana Zaramela | 30 de Janeiro de 2024 às 12h55

Link copiado!

Envato/stevanovicigor
Envato/stevanovicigor

Depois de tomar café, é normal lavar a caneca usada. Após uma refeição, os pratos e os talheres são limpos. O mesmo deveria valer para as garrafas de água reutilizáveis, de vidro, alumínio, aço ou plástico duro, mas o hábito não é tão comum assim, o que possibilita a proliferação de inúmeros fungos e bactérias perigosos para a saúde humana. 

É preciso lavar uma garrafa de água após o uso, com água e detergente, como explica Primrose Freestone, microbiologista e professora associada da Universidade de Leicester, no Reino Unido.

"Embora a sua garrafa possa ser reutilizável, ela não mantém a própria higiene. Isso significa que você simplesmente não pode reabastecer e reutilizar a garrafa sem limpá-la”, defende a especialista em artigo publicado na BBC Science Focus.

Continua após a publicidade

Como limpar garrafa de água?

Se você nunca limpou a sua garrafa de água, é preciso ir para a limpeza mais profunda. Neste caso, vale acrescentar uma mistura de água com vinagre, nas mesmas proporções, e deixar o líquido agir por alguns dias. Em seguida, pode lavar com água e detergente.

No caso de limpezas intermediárias, a microbiologista explica que isso pode ser feito com uma mistura de água quente e detergente. Após despejar o líquido dentro da garrafa, é importante chacoalhar e deixar agir por cerca de 10 minutos. Por fim, o recipiente deve secar naturalmente, sem tampa. 

Continua após a publicidade

Essas duas estratégias podem ser usadas em casos mais extremos, mas, no dia a dia, Freestone orienta a lavar diariamente com água e detergente, como se faz com um copo sujo. Se não for possível, busque higienizar algumas vezes por semana, evitando que os micróbios cresçam. 

Mais cuidados com garrafinhas

Além da limpeza, é preciso ter cuidado na escolha do material das garrafas reutilizáveis. O ideal é sempre optar por versões de alumínio, aço ou vidro. No caso das garrafas de plástico, deve-se escolher as que são mais duras, o que reduz o nível de micro e nanoplásticos no líquido

Bactérias e fungos na garrafa

Continua após a publicidade

Quando se pensa nos micróbios que habitam as garrafas de água, é preciso considerar tanto aqueles que chegam do meio ambiente quanto os que saem da boca de quem costuma usar a garrafa — sim, milhões de micróbios, como fungos, bactérias e até vírus, habitam o organismo humano, incluindo o interior da boca.

Para entender melhor este cenário, um pequeno estudo da empresa norte-americana WaterFilterGuru analisou quais patógenos são mais comuns nas garrafas reutilizáveis.

Segundo a análise, a quantidade de micróbios que habitam a pele e a boca é normalmente elevada, como bactérias gram-positivas do gênero Staphylococcus e Streptococcus. A parte boa é que a maioria dessas bactérias são inofensivas.

No entanto, se a pessoa não tem o hábito de lavar as mãos após usar o banheiro, por exemplo, bactérias do intestino podem se proliferar nessas garrafas, como a Escherichia coli, associada com diarreias e infecções alimentares

Continua após a publicidade

“Essencialmente, a água contaminada pode prejudicar a saúde, causando problemas intestinais, como diarréia e vômitos. Se houver mofo, possivelmente alergias”, resume a microbiologista.

Fonte: WaterFilterGuru Science BBC Science Focus