Fungo Negro: Amazonas registra morte por mucormicose e caso é investigado

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 02 de Junho de 2021 às 11h30
catolla/envato

Nesta terça (1º), Manaus confirmou um caso de mucormicose, doença mais conhecida como fungo negro. O paciente, internado no Hospital e Pronto-Socorro Dr. João Lúcio (na Zona Leste) e depois transferido para o hospital da Fundação de Medicina Tropical, era um homem de 56 anos. Embora a confirmação tenha acontecido apenas nesta terça, o caso ocorreu em 12 de abril. No dia 16, o paciente veio a óbito.

A mucormicose é popularmente conhecida como "fungo preto", e mata mais de 50% dos acometidos. Em muitos casos, é preciso retirar cirurgicamente as partes do corpo afetadas pelo micro-organismo, como os olhos, por exemplo. Na Índia, essa infecção já acometeu quase 9 mil pacientes com COVID-19. Acredita-se que a relação esteja na diminuição da imunidade.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

No caso de Manaus, o paciente apresentou sintomas de gripe, mas o teste RT-PCR deu negativo para COVID-19. O homem então apresentou sensação incômoda e coceira no olho direito, que avançou para uma infecção. A Fundação de Medicina Tropical fez um exame de cultura do material colhido do paciente e confirmou a presença do agente da subespécie Rizhopus ssp, compatível com a mucormicose.

De acordo com a faculdade, após a confirmação, o material foi enviado para o laboratório da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para investigação do caso. Também foi emitido um alerta para os médicos que atendem pacientes com COVID-19 e diabetes. 

Fonte: G1

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.