Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Exercício físico aeróbico reduz o risco de morte por gripe e pneumonia

Por| Editado por Luciana Zaramela | 17 de Maio de 2023 às 14h28

Link copiado!

NomadSoul1/Envato
NomadSoul1/Envato

Exercício físico faz bem para saúde, mas o quanto ele pode impactar o seu corpo? Segundo pesquisadores dos Estados Unidos, pessoas que fazem atividade física aeróbica regularmente têm menor risco de morte em decorrência da gripe (influenza) e da pneumonia. A redução da probabilidade é de aproximadamente 48%.

Publicado na revista científica British Journal of Sports Medicine, o estudo que mediu o impacto da atividade física na proteção do corpo contra as doenças respiratórias foi desenvolvido por membros do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). No total, a equipe revisou dados de saúde de 577 mil norte-americanos, coletados entre 1998 e 2018.

Entenda o que é exercício físico aeróbico

Continua após a publicidade

Antes de seguirmos, vale entender o que é exercício aeróbico. Popularmente, é também conhecido como atividade de resistência ou de cardio (cardiorrespiratória). De forma geral, são aqueles exercícios que demandam oxigênio para a produção de energia, elevam a frequência cardíaca e envolvem tempos de média ou longa duração. Entre os tipos mais comuns, estão:

  • Caminhada rápida;
  • Corrida;
  • Andar de bicicleta;
  • Dançar;
  • Natação;
  • Subir escadas;
  • Pular corda.

Estudo sobre o impacto do exercício em casos de gripe e pneumonia

No estudo com mais de 570 mil voluntários, os cientistas descobriram que mais da metade dos participantes (cerca de 50,5%) não atingia nenhuma meta semanal para os exercícios físicos. Isso significa que não praticavam exercício aeróbico, nem fortalecimento muscular. Quem alcançava as duas metas tinha um risco ajustado 48% menor.

Continua após a publicidade

Os autores também descobriram que, de fato, qualquer exercício é melhor que nenhum. Por exemplo, os que praticavam de 10 a 149 minutos semanais de atividade aeróbica tinham um risco de morte por gripe e pneumonia 21% menor do que os sedentários, independente da questão do fortalecimento muscular. Entre os que faziam 150 a 300 minutos de atividade, o risco era 41% menor. O risco era 50% menor para quem completava de 300 a 600 minutos. Nenhum benefício foi observado entre os que praticavam mais de 600 minutos semanais.

“Os esforços para reduzir a mortalidade por gripe e pneumonia entre adultos podem se concentrar na diminuição da prevalência de inatividade aeróbica”, sugerem os pesquisadores, após a descoberta.

Quanto de atividade física é preciso fazer por semana?

Continua após a publicidade

Por semana, a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que os adultos pratiquem 150 minutos de atividade física aeróbica moderada ou 75 minutos em intensidade vigorosa. Além disso, são orientados a praticarem exercícios de fortalecimento muscular (musculação) pelo menos duas vezes por semana.

"A atividade física aeróbica, mesmo em quantidades abaixo do nível recomendado, pode estar associada a menor mortalidade por influenza e pneumonia”, afirmam os autores do estudo. Os benefícios em relação ao menor risco de morte eram observados em quem praticava de 10 a 150 minutos de atividades moderadas por semana.

"Embora [10-150 minutos por semana] seja muitas vezes rotulado como 'insuficiente' porque fica abaixo da duração recomendada [pela OMS], pode conferir benefícios à saúde em relação à inatividade física", revelam os pesquisadores. Diferente da atividade aeróbica, a musculação, um tipo de exercício anaeróbico, não foi associada com redução ou aumento do risco da mortalidade por gripe ou pneumonia.

Fonte: British Journal of Sports Medicine e BMJ