Enfermeira antivacina é acusada de injetar água com sal em idosos

Enfermeira antivacina é acusada de injetar água com sal em idosos

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 12 de Agosto de 2021 às 14h30
Mufid Majnun/Unsplash

Frente à vacinação em massa que tem acontecido para proteger a população de diversos países da COVID-19, o movimento antivacina também acabou ganhando maiores proporções. E um dos casos que mostram isso é o de uma enfermeira da Alemanha, que foi acusada de injetar propositalmente água com sal (solução salina, ou soro fisiológico) nas pessoas em vez do imunizante.

A enfermeira teria postado teorias de conspiração antivacina nas redes sociais na mesma época. O público que recebeu a vacina falsa foi principalmente de idosos, um segmento da população que corre o maior risco de doença grave e morte por COVID-19.

Enfermeira antivacina é acusada de injetar água salgada em idosos na Alemanha ao invés de administrar o imunizante contra COVID-19 (Imagem: Davidpereiras/Envato)

A solução usada pela enfermeira não é prejudicial quando injetada nas pessoas, mas não ser vacinado durante uma pandemia apresenta um grande número de riscos. Em resposta a isso, as autoridades de saúde alemãs estão pedindo a todos que foram vacinados no Centro de Vacinação de Roffhausen, local do ocorrido, para que sejam vacinados novamente.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A enfermeira, que não foi identificada publicamente, admitiu inicialmente ter dado injeções de solução salina a seis pacientes. Ela disse que fez isso para encobrir o fato de ter derrubado um frasco da vacina da Pfizer, mas suspeita-se que um grupo muito maior de pessoas tenha sido afetado. 

Fonte: The Guardian via Gizmodo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.