É possível pesar a alma humana?

É possível pesar a alma humana?

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 04 de Julho de 2022 às 18h50
Rawpixel/Envato

A alma humana é um dos pontos centrais na maioria das religiões e, dependendo do contexto, pode ser encarada como um dogma — em outras palavras, uma questão indiscutível e que não precisa ser comprovada para existir. Só que poderia a ciência moderna identificar, dimensionar e pesar a alma?

Não necessariamente a ciência e a fé precisam caminhar juntas, mas, em alguns momentos, cientistas podem responder fenômenos ou crenças, a partir de experimentos científicos. Neste caso que envolve medir a alma humana, o médico norte-americano Duncan MacDougal é um dos únicos conhecidos a se propor este desafio.

Experimentos tentaram medir o possível peso da alma, mas a resposta ainda é uma incógnita para a ciência (Imagem: Halfpoint/Envato)

A conclusão de MacDougal, obtida há mais de 100 anos, é de que a alma humana existe e que esta pesaria 21 gramas, mas as evidências obtidas por seu experimento são questionáveis e controversas, segundo especialistas. Além disso, nenhum outro pesquisador confirmou os seus achados.

Tentando pesar a alma humana

"O essencial é que deve haver uma substância como base para a continuidade da identidade e consciência pessoal, pois, sem uma substância ocupando o espaço, uma personalidade ou um ego consciente contínuo após a morte corporal é impensável", afirma MacDougal, no ano de 1903, em estudo publicado na revista científica da American Medicine Association.

Buscando comprovar a existência desta substância, o médico norte-americano propôs uma série de experimentos para verificar o peso da alma humana. Os testes foram realizados em seis pessoas, que estavam morrendo. As causas eram variadas, como tuberculose e complicações do diabetes.

Quando os sinais vitais estavam significativamente enfraquecidos e, muito provavelmente, a morte se aproximava, os leitos dos pacientes eram transferidos para balanças de tamanho industrial. Ali, seria feita a medição. Apesar dos seis participantes, o peso de 21,3 gramas foi confirmado em apenas um dos casos, o que reforça as limitações desta pesquisa.

Questionado sobre a validade do teste pela revista Popular Mechanics, o pesquisador e diretor de pesquisa institucional do AMDA, Donald Everhart, apontou para o fato da amostra do experimento sobre a alma ser muito pequena para ser confiável. Outra questão a ser considerada é a precisão das balanças usadas.

Fenômenos que podem alterar a massa do corpo?

"Estou ciente de que um grande número de experimentos precisaria ser feito antes que o assunto pudesse ser provado, além de qualquer possibilidade de erro", afirma o próprio médico MacDougall sobre os limites de sua pesquisa. Neste ponto, ainda é preciso comprovar que a perda de massa não está relacionada a nenhum outro processo fisiológico que ocorre após a morte.

Afinal, passado o último suspiro, o corpo entra em imediato processo de declínio. Por exemplo, os músculos relaxam e liberam algumas substâncias indesejadas, como fezes e urina. O cadáver tende a transpirar, eliminado suor, e o pulmão é esvaziado. Gases também são liberados pelo organismo. Neste ponto, diferentes variantes podem ter afetado o experimento de MacDougall, o que torna o peso alma — caso ela exista — um grande mistério.

Fonte: Popular MechanicsMcGill University e American Medicine    

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.