Coronavírus | Fiocruz anuncia descoberta de mutações em variante brasileira

Coronavírus | Fiocruz anuncia descoberta de mutações em variante brasileira

Por Natalie Rosa | Editado por Luciana Zaramela | 24 de Março de 2021 às 16h20
IciakPhotos/Envato

Estamos vivendo, possivelmente, o pior período da pandemia da COVID-19, com os números e infecções e óbitos pelo coronavírus crescendo a cada dia. Uma das causas desse aumento é o surgimento de diferentes variantes do SARS-CoV-2, inclusive no Brasil, e a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) divulgou novas informações sobre a variante brasileira.

De acordo com a fundação, que conduziu a pesquisa por cerca de nove meses junto à Rede Genômica Fiocruz, a variante brasileira conta com mutações que podem facilitar a contaminação das células humanas pelo vírus, além da multiplicação. Ainda segundo o estudo, foram encontradas alterações na proteína spike, aquela que acaba se prendendo ao coronavírus antes de entrar nas células.

Imagem: Reprodução/ktsimage/Envato

A proteína spike, inclusive, vem sendo estudada desde o início da pandemia, sendo ela usada pelos anticorpos que são desenvolvidos no organismo na hora de combater a infecção pelo coronavírus. Os cientistas envolvidos no estudo deixam claro que ainda não há evidência de que a vacina da COVID-19 não seja eficaz contra a mutação, ainda que os resultados do estudo sugiram que as mutações se espalham pelas células de forma mais fácil, e que mais testes precisam ser realizados.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Os testes foram feitos em amostras de pacientes do Amazonas, Alagoas, Bahia, Maranhão, Minas Gerais, Paraná e Rondônia. No Amazonas, uma amostra mostrou alterações na sequência genética que está relacionada à linhagem B.1.1.28, enquanto quatro amostras da Bahia, uma do Paraná e duas do Alagoas foram caracterizadas como linhagem P1. Em Minas Gerais, uma amostra teve alteração na linhagem P.2 e duas no Maranhão, na linhagem B.1.1.33, que também contavam com a mutação E484K.

 

 

Fonte: CNN Brasil

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.