CoronaVac e vacina de Oxford são aprovadas pela Anvisa para uso emergencial

Por Luciana Zaramela | 17 de Janeiro de 2021 às 17h52
Hakan Nural/Unsplash

Neste domingo (17), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou, em caráter de unanimidade, o uso emergencial das vacinas contra COVID-19 CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, e AstraZeneca, desenvolvida em parceria entre a farmacêutica e a Universidade de Oxford, e que será fabricada no Brasil pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). Ambas as vacinas tiveram seus estudos de fase 3 concluídos no país.

De acordo com o ministro da saúde, Eduardo Pazuello, a distribuição das doses para os estados começa nesta segunda (18), para que o Plano Nacional de Imunização se inicie na quarta (20), às 10h, simultaneamente em todas as unidades da federação.

A partir da divulgação da decisão, a primeira injeção da vacina CoronaVac já foi aplicada em uma enfermeira da UTI do Instituto de Infectologia do Emílio Ribas, em Sâo Paulo. Mônica Calazans tem 54 anos e recebeu a primeira dose do imunizante. 

A liberação do uso emergecial das vacinas produzidas pela Fiocruz e Butantan ocorreu após recomendações internas de gerências da Anvisa e votação unânime dos cinco diretores da agência. 

Doses na primeira etapa

Ao Ministério da Saúde, o Instituto Butantan entregará um total de 4,6 milhões de doses da CoronaVac para distribuição aos estados, conforme anunciou João Doria, governador de São Paulo, e Dimas Covas, diretor do instituto, durante coletiva de imprensa neste domingo. Outras 1,3 milhões de doses ficarão em São Paulo.

Já as vacinas de Oxford, em parceria com a AstraZeneca, devem chegar entre segunda e terça-feira, conforme informou o presidente Jair Bolsonaro no último sábado (16). Vindas da Índia, estas totalizam 2 milhões, o que imunizará 1 milhão de brasileiros dos grupos prioritários.

O uso emergencial será liberado após a publicação oficial e assim que houver comunicação formal aos laboratórios. No caso da CoronaVac, será necessária a assinatura de um termo de compromisso, que também precisa ser publicado no Diário Oficial.

Fonte: Agência Brasil

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.