Consumo de Ômega 3 pode reduzir risco de pressão alta, diz estudo

Consumo de Ômega 3 pode reduzir risco de pressão alta, diz estudo

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 03 de Junho de 2022 às 08h30
Jirkaejc/Envato Elements

Uma equipe de cientistas chineses e canadenses descobriu que consumir regularmente Ômega 3 reduz a pressão alta — também conhecida como pressão arterial — e, consequentemente, melhora a saúde do coração. O consumo deste tipo de ácido graxo pode ser feito através de alimentos, como peixes, ou de suplementos. A dose ideal é de 3 gramas por dia.

Publicada na revista científica Journal of the American Heart Association (Jaha), a revisão sistemática — estudo que analisa outros artigos já desenvolvidos sobre o mesmo tema — foi liderada por cientistas da Macau University of Science and Technology, na China, e da Queen's University, no Canadá.

Consumo diário de 3 gramas de Ômega 3 melhora a pressão e a saúde do coração, segundo estudo (Imagem: BrianAJackson/Envato Elements)

“De acordo com nossa pesquisa, o adulto médio pode ter uma redução modesta da pressão arterial ao consumir cerca de 3 gramas por dia desses ácidos graxos”, afirma Xinzhi Li, um dos autores do estudo e professor da Macau University, em comunicado.

Onde encontrar Ômega 3?

Vale explicar que o que conhecemos como Ômega 3 são alguns tipos de ácidos graxos essenciais, como o EPA (ácido eicosapentaenóico) ou ainda o DHA (ácido docosahexaenóico). Anteriormente, alguns estudos já observaram a relação entre essas moléculas e a melhora da saúde do coração, mas a quantidade "ideal" ainda era discutida.

Além dos suplementos comprados prontos ou manipulados em farmácias, o Ômega 3 pode ser encontrado em diferentes alimentos. A seguir, confira os principais:

  • Salmão;
  • Atum;
  • Sardinha;
  • Truta;
  • Linhaça;
  • Azeite;
  • Nozes;
  • Amêndoas.

“A maioria dos estudos relatou [o consumo] suplementos de óleo de peixe, em vez de ômega-3 EPA e DHA consumidos em alimentos, o que sugere que os suplementos podem ser uma alternativa para aqueles que não podem comer peixes gordurosos, como salmão, regularmente”, pontua o pesquisador Li. Atualmente, o alto custo das porções também pode limitar o acesso.

Além disso, “os suplementos de algas com ácidos graxos EPA e DHA também são uma opção para pessoas que não consomem peixe ou outros produtos de origem animal”, acrescenta Li.

Entenda o estudo sobre a pressão alta

Para chegar a conclusão dos 3 gramas diários, os pesquisadores analisaram os resultados de 71 ensaios clínicos já feitos em todo o mundo, publicados entre os anos de 1987 e 2020. Na fase de seleção, foram escolhidos aqueles que avaliavam as possíveis relações entre a pressão arterial e os ácidos graxos ômega-3 DHA e EPA. No total, a revisão conseguiu investigar os efeitos da dieta em quase 5 mil participantes, com idade mínima de 18 anos.

Após cruzar e avaliar os resultados, o pesquisador Li explica que "os ácidos graxos ômega-3 EPA e DHA podem reduzir o risco de doença cardíaca coronária ao diminuir a pressão alta, especialmente entre pessoas já diagnosticadas com hipertensão”, comprovando os benefícios da dieta.

Fonte: Jaha e American Heart Association  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.