Cientistas explicam, em novo estudo, por que o estresse faz o cabelo cair

Cientistas explicam, em novo estudo, por que o estresse faz o cabelo cair

Por Natalie Rosa | Editado por Luciana Zaramela | 12 de Abril de 2021 às 14h08
seventyfourimages/Envato

Se você sofre com queda de cabelo, provavelmente já deve ter ouvido falar que uma das principais causas é emocional, por estresse. A possibilidade, de fato, existe, e cientistas da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, decidiram investigar o motivo de isso acontecer.

Uma das condições que relaciona o estresse com a queda de cabelo é o eflúvio telógeno, que costuma acontecer quando uma pessoa passa por situações traumáticas em suas vidas. Então, com a chegada da pandemia, cientistas começaram a cogitar que os problemas que vieram com o coronavírus estão contribuindo para uma grande perda de fios de cabelo, inclusive entre pessoas que nunca foram infectadas pela COVID-19.

Imagem: Reprodução/twenty20photos/Envato

O estudo, que foi publicado na revista científica Nature, revela que, em testes com ratos, os cientistas encontraram provas de que o hormônio que está ligado ao estresse, o cortisol, dificulta o processo de regeneração dos folículos capilares. Os animais produzem um hormônio do estresse bastante parecido com o dos humanos, esses chamado corticosterona.

Os pesquisadores explicam que os folículos capilares passam por duas atividades principais de crescimento e de descanso. Durante a fase de crescimento, as células-tronco presente no folículo capilar amadurecem, regenerando a região e permitindo que novos fios de cabelo apareçam. Já na fase de descanso, as células-tronco adormecem e desprendem os fios dos folículos.

Quando a fase de repouso acaba durando mais que o normal, os folículos capilares deixam de passar pelo processo de regeneração, provocando a queda de cabelo. Com os ratos, os testes mostraram que o estresse crônico prolonga o período de descanso das células-tronco presentes nos folículos em que nascem os pelos. "O resultado sugere que os hormônios do estresse elevados realmente trazem um efeito negativo nas células-tronco dos folículos capilares", diz o estudo.

Imagem: Reprodução/twenty20photos/Envato

Outros experimentos mostram ainda que o hormônio do estresse influencia em um grupo de células que recobrem as papilas dérmicas e formam a raiz de pelos e cabelos. Tais células atuam de maneira importante na nutrição e regeneração do folículo capilar. Essa influência nas células impede que elas produzam a molécula Gas6, fundamental para a saúde dos fios. O estudo diz que a adição de Gas6 é suficiente para ativar as células-tronco do folículo capilar que está em fase de repouso, estimulando então o crescimento do cabelo. Os cientistas acreditam que a molécula pode ser explorada, futuramente, para ajudar na força dos fios de cabelo.

Pesquisas passadas, realizadas pela mesma equipe, sugerem ainda que o estresse também pode contribuir para que os fios fiquem grisalhos antes do tempo, com a culpa provavelmente atribuída às células-tronco, mas a condição não seria provocada pelo mesmo fator.

 

 

 

Fonte: Gizmodo  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.