Cientistas da Unesp criam lâmpada "comum" contra covid e outros patógenos

Cientistas da Unesp criam lâmpada "comum" contra covid e outros patógenos

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 12 de Janeiro de 2022 às 14h40
Johannes Plenio/pexels

Pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp) desenvolveram uma lâmpada que pode eliminar o coronavírus SARS-CoV-2 e outros patógenos, a partir de sua atividade antisséptica baseada na ação de raios UV-C (luz ultravioleta). Esteticamente semelhante a lâmpadas "comuns", a criação foi batizada como Lâmpada Esterilizadora Automática.

Segundo os autores do projeto, a invenção pode facilitar o processo antisséptico. Afinal, será necessário apenas um clique para a esterilização de um ambiente potencialmente contaminado, como salas de espera ou clínicas.

Pesquisa da Unesp desenvolve lâmpada que pode higienizar ambientes contra a covid-19 (Imagem: Reprodução/Gimono/Pixabay)

A tecnologia foi desenvolvida por uma parceria entre o Laboratório de Pesquisa e Controle e o Laboratório de Engenharia Biomédica, ambos pertencentes à Unesp.

Luz que elimina patógenos

Os raios UV-C da lâmpada têm o potencial de quebrar a estrutura genética de microorganismos, como vírus, bactérias, fungos e outros agentes causadores de patologias, conforme explica Edvaldo Assunção, professor da Unesp e um dos responsáveis pela invenção.

Assim como as radiações UV-A e UV-B, os raios UV-C são, naturalmente, emitidos pelo Sol e podem causar doenças de pele. Por causa disso, a "limpeza" dos ambientes só é realizada na ausência de humanos, o que é identificado por sensores do próprio equipamento.

Uso contra a pandemia

Vale lembrar que a pandemia da covid-19 está prestes a completar dois anos e, neste momento, uma nova onda de casos surge em decorrência da variante Ômicron (B.1.1.529) do coronavírus. Nesse cenário, tecnologias que reduzam a circulação do agente infeccioso, transmitido principalmente pelo ar, são necessárias.

Tecnologia com luz ultravioleta promete eliminar o coronavírus e outros patógenos (Imagem: Reprodução/Photocreo/Envato)

No futuro, outros patógenos podem colocar a humanidade em risco — uma possibilidade que não deve ser descartada. Segundo Assunção, a lâmpada pode, inclusive, ser utilizada no combate de vírus que ainda nem foram descobertos. Isso porque a forma de eliminá-los, através da radiação, é a mesma.

“Se essa lâmpada já tivesse sido popularizada, nós poderíamos ter evitado que a Ômicron se espalhasse, por exemplo, e ainda podemos evitar que outra pandemia nos afete dessa forma”, comenta Assunção.

Quando a lâmpada contra a covid-19 vai chegar ao mercado?

"Atualmente, a Lâmpada Automática Esterilizadora é uma das patentes da Agência Unesp de Inovação e está disponível para contratação, por iniciativas públicas ou privadas", segundo nota da universidade. Isso significa que, por enquanto, não há um prazo para que a tecnologia chegue ao mercado.

No momento, fotos reais da tecnologia não podem ser compartilhados por questões que envolvem propriedade intelectual. Por isso, as imagens usadas são apenas ilustrativas, mas os registros devem ser atualizados assim que tivermos mais detalhes sobre o invento.

Fonte: Unesp

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.