China volta a registrar casos no fim de semana e teme segunda onda de COVID-19

China volta a registrar casos no fim de semana e teme segunda onda de COVID-19

Por Natalie Rosa | 12 de Maio de 2020 às 13h21
Xinhua

Novos casos de COVID-19 começaram a aparecer na China, Coreia do Sul e Alemanha, voltando a preocupar os governantes que acabam de começar a diminuir as restrições de isolamento social. A cidade chinesa de Wuhan, que se tornou o epicentro da pandemia, voltou a registrar cinco novos casos somente nesta segunda-feira (11).

Estes novos casos podem significar a chegada de uma segunda onda de contaminações, ou também ser um sinal de picos menores e mais controlados, conforme os testes de diagnósticos ficam disponíveis a mais pessoas. As autoridades do país registraram, no último fim de semana, 17 novos casos, sendo o segundo dia seguido de números de dois dígitos registrados em duas semanas.

Os novos casos de COVID-19 na China estão na região nordeste do país e fizeram com que a cidade de Wuhan, na província de Jilin, que faz fronteira com a Rússia e a Coreia do Norte, entrasse em isolamento parcial. Regiões próximas também foram bloqueadas para evitar novos surtos.

Imagem: Reprodução

A Coreia do Sul também vem enfrentando preocupações em relação a uma segunda onda de contaminação, tendo registrado novos casos da doença relacionados a casas noturnas de Seul. Isso fez com que clubes e bares fossem fechados mais uma vez na capital do país, adiando ainda a reabertura de escolas.

Jung Eun Kyeong, diretor geral do Centro de Doenças Infecciosas da Coreia do Sul, revelou à imprensa que não acredita na chegada de uma segunda onda, pois a primeira ainda não desapareceu por completo. Autoridades do país deixaram claro também que não vão afrouxar as condições necessárias para prevenir a pandemia.

Recentemente, a Alemanha e a Itália resolveram começar a reabrir alguns locais, mas com as devidas restrições, assim como a China e a Coreia do Sul, mas é preciso o monitoramento constante dos casos e do avanço da doença para avaliar a possibilidade de optar, mais uma vez, pelo isolamento total.

Fonte: Futurism

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.