Capacidade do cérebro só declina depois dos 60 anos, segundo estudo

Capacidade do cérebro só declina depois dos 60 anos, segundo estudo

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 23 de Fevereiro de 2022 às 18h30
markusgann/envato

Segundo um estudo da Heidelberg University (Alemanha), a capacidade do cérebro permanece quase constante até os 60 anos, e só então começa a declinar. Publicada na revista científica Nature Human Behavior, a análise contou com os dados de 1.185.882 pessoas de 10 a 80 anos.

Para testar a capacidade cognitiva, os participantes do estudo realizaram uma das atividades disponíveis em uma ferramenta de Harvard voltada a conscientizar sobre questões raciais e de gênero, na qual precisaram classificar determinadas palavras em categorias positivas e negativas. A equipe então usou a idade dos participantes, seus tempos de resposta e precisão para montar a análise.

O artigo concluiu que os participantes de 20 anos eram os mais rápidos a cumprir o teste com precisão, mas a faixa dos 14 e 16 anos foi responsável pelas respostas mais rápidas (no sentido de apertar o botão de classificação de forma mais imediata, por assim dizer).

Capacidade do cérebro passa a diminuir apenas depois dos 60 anos, segundo estudo (Imagem: Rido81/Envato)

Segundo o que os cientistas observaram, o processamento mental atinge o pico por volta dos 30 anos, de modo que quanto mais velho, menos erros cometidos. Na casa dos 60, no entanto, a situação muda.

De qualquer forma, os autores do estudo afirmam que há muitos processos diferentes envolvidos na tomada de decisões e que outros fatores, como opiniões previamente formadas, também podem afetar a rapidez do processamento cerebral. "Nossos resultados desafiam a noção generalizada de uma desaceleração da velocidade mental relacionada à idade", apontam os pesquisadores.

Fonte: Nature Human Behaviour

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.