Cannabis medicinal ajuda a reduzir a depressão, aponta novo estudo

Cannabis medicinal ajuda a reduzir a depressão, aponta novo estudo

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 25 de Outubro de 2021 às 15h10
Ckstockphoto/Envato Elements

Um estudo recente, publicado na revista Frontiers in Psychiatry, reforça a teoria de que produtos à base de cannabis podem ajudar a reduzir a depressão, de modo que os usuários tendem a apresentar sintomas menos graves do que os não-usuários. Segundo o estudo, um número crescente de pacientes tem buscado essa alternativa depois de não responderem aos antidepressivos convencionais. 

Para entender essa relação, os pesquisadores recrutaram 538 participantes que sofrem de depressão e/ou ansiedade.  Dos envolvidos, 368 já estavam usando cannabis medicinal para controlar seus sintomas, enquanto os 170 restantes consideravam fazer isso, mas ainda não haviam começado o tratamento com os fitofármacos. Os participantes foram convidados a preencher uma pesquisa projetada para medir seus níveis de depressão e ansiedade, bem como sua qualidade de vida, níveis de dor crônica e problemas de sono.

Cannabis medicinal ajuda a reduzir a depressão, segundo estudo (Imagem: Roberto Valdivia/Unsplash)

Os resultados iniciais revelaram que os usuários de cannabis medicinal experimentaram sintomas depressivos menos graves do que os não usuários, ao mesmo tempo que se beneficiaram de maior qualidade de vida, melhor sono e menos dor. No entanto, isso diz respeito ao canabidiol (CBD), que não possui efeito psicoativo. O tetrahidrocanabinol (THC), componente psicoativo da cannabis, não foi associado a melhorias na depressão.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

No entanto, os autores reconhecem que o estudo tem inúmeras limitações, considerando que a análise foi muito pequena, além de ser meramente um estudo observacional, que dependeu de questionários autorrelatados. Com base nisso, futuras análises controladas por placebo são necessárias para se aprofundar nesses resultados. A pesquisa original pode ser encontrada aqui.

Fonte: IFL Science

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.