Bactérias do intestino podem "escolher" quais são as suas comidas favoritas

Bactérias do intestino podem "escolher" quais são as suas comidas favoritas

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 22 de Abril de 2022 às 10h35
Haseeb Jamil/Unsplash

Você prefere ovos, derivados do leite, vegetais ou batata frita? Esta escolha parece ser algum muito pessoal e que só depende de você, mas novas evidências sugerem que as bactérias — e outros microrganismos do microbioma — do intestino ajudam a escolher os alimentos que mais lhe atraem. É o que sugere uma equipe de cientistas norte-americanos, após uma série de experimentos com roedores.

Publicado na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), o estudo sobre o impacto do microbioma intestinal na escolha alimentar de camundongos foi desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos.

Bactérias do intestino podem interferir em qual tipo de alimentação uma pessoa prefere (Imagem: Reprodução/Bondarillia/Envato)

A partir dos testes, os autores apontam que "o microbioma intestinal pode influenciar o comportamento de seleção da dieta do hospedeiro". A suposta "escolha" acontece, porque os microrganismos produzem substâncias que estimulam o desejo por diferentes tipos de alimentos e que são lidas pelo cérebro. Em resumo, são pequenos sinais para o corpo, como o aminoácido triptofano.

"Todos temos esses desejos — como se você sentir que precisa comer uma salada ou que realmente precisa comer carne", comenta Kevin Kohl, professor assistente da universidade e um dos autores do estudo, em comunicado. “Nosso trabalho mostra que animais com diferentes composições de micróbios intestinais escolhem diferentes tipos de dietas”, resume.

Estudo sobre microbioma e roedores

No estudo, a equipe de pesquisadores selecionou 30 camundongos que estavam sem micróbios intestinais. Estas cobaias receberam microrganismos de outras espécies de roedores selvagens com dietas diferentes das suas, como onívoras ou carnívoras.

Após os testes, os cientistas concluíram que cada grupo de roedores escolhia preferencialmente alimentos ricos em nutrientes que agradariam mais o seu novo microbioma. Dessa forma, foram estabelecidos novos alimentos e dietas favoritos.

“Há provavelmente dezenas de sinais que estão influenciando o comportamento alimentar no dia-a-dia. O [aminoácido] triptofano, produzido por micróbios, pode ser apenas uma parte disso”, comenta Kohl sobre os outros sinais ainda devem ser descobertos.

Bactérias também "escolhem" o paladar humano?

Apesar das limitações da pesquisa, os autores explicam que este é um dos poucos experimentos que mostra a ligação direta entre o intestino e o cérebro. No campo da teoria, o conceito já era discutido, mas não se encontrava formas de provar este impacto e, ainda hoje, é considerado por muitos uma hipótese absurda.

Agora, a equipe busca meios para testar a descoberta sobre o impacto das bactérias na alimentação humana. “Pode ser que o que você comeu no dia anterior seja mais importante do que apenas os micróbios que você tem”, adianta Kohl. Isso porque “os humanos têm muito mais coisas acontecendo que ignoramos em nosso experimento. Mas é uma ideia interessante para se pensar”, completa.

Fonte: PNAS e Universidade de Pittsburgh  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.