Aprenda a melhorar o ajuste de sua máscara para aumentar a eficácia contra covid

Aprenda a melhorar o ajuste de sua máscara para aumentar a eficácia contra covid

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 07 de Fevereiro de 2022 às 13h40
Twenty20photos/Envato Elements

Pesquisadores da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, investigaram quais são as melhores formas para ajustar uma máscara no rosto e, dessa forma, melhorar a eficácia da proteção contra a covid-19. Isso porque o ajuste adequado é essencial para que a máscara consiga filtrar partículas do coronavírus SARS-CoV-2. Nesse sentido, a melhor estratégia pode ser usar esparadrapos ou fita adesiva.

Publicado na revista científica PLOS One, o estudo britânico investigou a eficácia de alguns truques de ajuste, como esparadrapos colando a máscara no rosto, gases (recheando os espaços) e elásticos para melhorar o ajuste e meia-calças, por exemplo. Nos experimentos, foram usadas uma máscara cirúrgica e uma KN95 — o modelo chinês é similar ao respirador brasileiro PFF2.

Para ajustar uma máscara cirúrgica ao rosto, especialistas recomendam o uso de esparadrapos (Imagem: Reprodução/Prostooleh/Envato)

"O uso de meia-calça, esparadrapos e elásticos foram eficazes para a maioria dos participantes", afirmam os autores, destacando a estratégia da fita adesiva. No entanto, isso não significa que todas as soluções de ajustes sejam confortáveis, mas podem ajudar em momentos de maior risco de exposição ao vírus da covid-19, como em ambiente hospitalar, no transporte público ou em mercados.

Máxima proteção

Segundo os pesquisadores, o ajuste adequado de uma máscara é ainda mais importante do que o material com que é feita. “Para fornecer a proteção anunciada, uma máscara precisa se ajustar firmemente ao rosto — não deve haver lacunas visíveis ao redor da borda da máscara”, explica Eugenia O'Kelly, a autora principal do artigo e professora de Cambridge, em comunicado.

“Vimos muitas evidências anedóticas de pessoas 'hackeando' suas máscaras para melhor se adequarem ao formato de seu rosto, mas queríamos validar se algum desses truques realmente funciona, já que muito pouca pesquisa foi feita nessa área”, explica O. 'Kelly.

Como saber se funcionou?

Se ajuste é tão importante, as pessoas precisam saber quando as máscaras estão funcionando adequadamente ou não. “Se você respirar fundo, vai perceber o material se mover um pouco [para frente], o que indica um ajuste muito bom”, explica a cientista O'Kelly. O ar nunca deve sair pelas laterais.

“Se você está preocupado em obter o melhor ajuste possível, tente um esparadrapo em torno do queixo e das bochechas”, explica a pesquisadora sobre a estratégia de ajuste mais simples.

Testando truques para o melhor ajuste

No estudo da Universidade de Cambridge, os pesquisadores testaram diferentes truques de ajuste de máscara em quatro voluntários. A eficácia da estratégia de proteção era medida de duas formas: a capacidade de sentir o gosto de uma substância pulverizada no ar; e a medição da quantidade de partículas dentro das máscaras.

Pesquisa testa as melhores formas de ajustar as máscaras contra a covid-19 (Imagem: Reprodução/O'Kelly et al., 2022/PLOS One)

“Para a maioria dos truques, o conforto era um grande problema”, explica O'Kelly. “Os elásticos, por exemplo, tendiam a fazer uma pressão dolorosa nas orelhas e no rosto, a ponto de dificultar a circulação para os ouvidos", comenta.

Além disso, a meia-calça garantiu um ajuste adequado, mas os participantes se sentiram muito desconfortáveis. Embora não tenha causado nenhum desconforto enquanto a pessoa usasse a máscara, os esparadrapos causaram algum desconforto durante a remoção.

"No entanto, usar um truque eficaz, mas desconfortável, pode fazer sentido em algumas situações de alto risco, onde o desconforto vale a pena pela proteção adicional, mas seria mais difícil usar esses truques dia após dia”, completa a cientista.

Para o futuro das indústrias que fabricam os equipamentos de proteção, os autores esperam que as questões levantadas pelo estudo, como conforto e ajuste adequado, sejam consideradas na produção de novos modelos de máscaras.

Fonte: PLOS One e Universidade de Cambridge     

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.