Publicidade

Altos níveis de colesterol bom podem aumentar risco de demência

Por| Editado por Luciana Zaramela | 30 de Novembro de 2023 às 14h04

Link copiado!

ANIRUDH/Unsplash
ANIRUDH/Unsplash

Estudos já apostaram que o colesterol "bom" pode prevenir o Alzheimer. No entanto, uma pesquisa conduzida pela Monash University e publicada na revista científica The Lancet Regional Health na última quarta-feira (29) sugere que altos níveis do HDL-C podem, na verdade, aumentar o risco de demência.

Ao acompanhar pacientes durante 6,3 anos, os pesquisadores perceberam que aqueles com HDL-C muito elevado no início do estudo apresentavam um risco 27% maior de demência em comparação com os participantes com níveis ideais de HDL-C, enquanto aqueles com 75 anos ou mais também apresentaram um risco 42% aumentado em comparação com aqueles com níveis ideais.

Entre os 18.668 participantes incluídos na análise, 2.709 apresentavam HDL-C muito elevado no início do estudo, com 38 incidentes de demência em pessoas com menos de 75 anos com níveis muito elevados, e 101 naqueles com 75 anos ou mais com níveis muito elevados.

Continua após a publicidade

Mas a própria equipe reconhece que mais pesquisas eram necessárias para explicar por que um nível muito alto de colesterol HDL parecia afetar o risco de demência. De qualquer forma, em comunicado divulgado pela universidade, os autores afirmam que os resultados do estudo podem ajudar a melhorar a compreensão dos mecanismos por trás da demência.

“Sabemos que o colesterol HDL é importante para a saúde cardiovascular, mas este estudo sugere que precisamos de mais pesquisas para compreender o papel do colesterol HDL muito elevado no contexto da saúde do cérebro. Pode ser benéfico considerar níveis muito elevados de colesterol HDL em algoritmos de previsão do risco de demência”, afirma a equipe.

Fatores de risco para demência

No início de novembro, um estudo conduzido por cientistas de Oxford e publicado na revista BMJ Mental Health revelou os principais fatores de risco relacionados à demência.

Continua após a publicidade

Os pesquisadores fizeram uma lista de 28 fatores conhecidos ligados ao risco de demência e depois identificaram os mais fortes, reduzindo esse número a 11:

  • Idade
  • Escolaridade
  • Histórico de diabetes
  • Histórico de depressão
  • Histórico de acidente vascular cerebral
  • Histórico parental de demência
  • Classe econômica baixa
  • Pressão alta
  • Colesterol alto
  • Morar sozinho
  • Sexo masculino

Nesse estudo anterior, os pesquisadores sugerem que até 40% dos casos de demência poderiam ser evitados através da modificação de certos fatores do estilo de vida, tais como parar de fumar, reduzir a pressão arterial elevada, perder peso e reduzir a ingestão de álcool.

Continua após a publicidade

Fonte: Monash University, The Lancet Regional Health