Publicidade

Adicionar sal à comida reduz a expectativa de vida em dois anos, segundo estudo

Por| Editado por Luciana Zaramela | 11 de Julho de 2022 às 14h31

Link copiado!

furmanphoto/envato
furmanphoto/envato

Adicionar sal à comida pode reduzir em dois anos a expectativa de vida, segundo um estudo publicado na revista científica European Heart Journal. Para chegar a essa conclusão, cientistas de Oxford analisaram dados de 500 mil britânicos, disponíveis no UK Biobank.

No entanto, essa redução na expectativa de vida não diz respeito ao tempero durante o processo de cozimento, e sim aquele que se acrescenta à comida já pronta (com o sachê de sal que fica disponível à mesa do restaurante, por exemplo).

Os cientistas acompanharam os participantes durante nove anos, através de questionários sobre alimentação, e afirmaram que as evidências são convincentes o suficiente para que as pessoas considerem evitar acrescentar sal à refeição.

Continua após a publicidade

"Mesmo uma redução modesta na ingestão de sódio pode resultar em benefícios substanciais para a saúde, especialmente quando alcançado na população em geral”, afirma o estudo. Para se ter uma noção, o grupo de pessoas adepto a uma quantidade maior de sal teve um risco 28% maior de morte prematura.

Aos 50 anos, homens e mulheres que sempre adicionavam sal tinham uma expectativa de vida 2,3 anos e 1,5 anos menor, respectivamente. Mas os próprios pesquisadores reconhecem que outros fatores que podem afetar os resultados, incluindo idade, sexo, etnia, privação, índice de massa corporal, tabagismo, ingestão de álcool, atividade física, dieta e condições médicas, como diabetes, câncer e doenças cardíacas.

Os pesquisadores estabelecem que deve ser uma prioridade equilibrar a ingestão de sal com uma alimentação rica em frutas e vegetais. No entanto, aqueles com alto risco de doença cardíaca devem reduzir o consumo com urgência, e não adicionar sal extra aos alimentos prontos já faz a diferença.

Continua após a publicidade
O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Fonte: European Heart Journal via The Guardian