Realidade aumentada é crucial para a Apple, revela Tim Cook

Realidade aumentada é crucial para a Apple, revela Tim Cook

Por Igor Almenara | Editado por Douglas Ciriaco | 06 de Abril de 2021 às 11h37
Divulgação

Normalmente, a Apple mantém seus planos e ideias em segredo até que sejam devidamente anunciados numa apresentação oficial. O CEO Tim Cook, no entanto, antecipou alguns dos conceitos analisados pela companhia para realidade virtual e veículos autônomos em uma entrevista ao The New York Times e revelou informações interessantes do que podem ser alguns dos futuros produtos da companhia.

Dos momentos relacionados ao assunto durante o diálogo, Tim Cook afirmou que realidade aumentada é algo “crucial” para o futuro da Maçã — pelo menos, enquanto ele estiver numa posição de liderança. O CEO acredita que a tecnologia pode ser utilizada para melhorar conversas, algo que combina perfeitamente com o momento atual e as normas de distanciamento social.

“Eu e você estamos tendo uma bela conversa agora. Contudo, ela poderia ser ainda melhor se pudéssemos ampliar nosso diálogo com gráficos ou outras coisas. Já vejo a realidade aumentada decolando em algumas áreas através do uso do smartphone e acho que ela é uma promessa ainda maior para o futuro”, respondeu o executivo.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

(Imagem: The Information/Reprodução)

A realidade aumentada atua de forma excepcional no iPhone, visto que o aparelho é munido de sensores poderosos para registro espacial e de um sistema refinado para criação de efeitos mais estáveis e “palpáveis”. Em segmento mais imersivo, a Apple parece investir no desenvolvimento de óculos de realidade mista em seus laboratórios, num conceito patenteado em meados de 2014.

Nenhuma informação sobre o dispositivo foi divulgada ao público, o que já era de se esperar pela Apple. As recorrentes dicas da companhia sobre seus avanços em realidade aumentada — reiterados pela fala do CEO — impulsionam a expectativa dessas novidades.

Ademais, elas podem ser ainda melhores do que o esperado. Graças à evolução de processadores ARM como o Apple M1, os óculos podem contar com um belo CPU, disparar como aparelho portátil, num modelo análogo ao Oculus Quest, do Facebook, e se arriscar nesse setor pouco explorado de dispositivos independentes de realidae virtual, aumentada ou mista.

Ecossistema em expansão

Rumores anteriores sugerem que a Apple está interessada no segmento de veículos autônomos — seja no desenvolvimento de um carro ou na integração do seu sistema a modelos de grandes montadoras. Tim Cook não confirma essa suspeita, mas deixa claro que alcançar novas plataformas é um dos objetivos prioritários da companhia.

“Nós adoramos integrar hardware, software e outros serviços para encontrar pontos de interseção entre eles porque é assim que a mágica acontece. É isso que amamos fazer”, exaltou o CEO.

Tim Cook flerta com a importância da tecnologia em setores de recente crescimento como o de veículos autônomos. Entretanto, ele reduz as expectativas ao dizer que a Apple investiga várias ideias nos bastidores, mas muitas delas “podem não ver a luz do dia”.

Questionado se a tecnologia automotiva desenvolvida pela Maçã se trata de um carro ou apenas um sistema, Tim Cook esquivou e optou por não responder. Ainda assim, não afirmou que esse seria um dos projetos a serem largados na gaveta.

Nesse mesmo bate-papo, Tim Cook sugere que deixará a Apple dentro dos próximos dez anos, comenta sobre sua experiência nas últimas eleições para a presidência dos EUA e outras curiosidades.

Fonte: The New York Times

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.