Compra em realidade virtual já é um desejo de 73% dos brasileiros

Por Colaborador externo | 31.07.2017 às 21:10
photo_camera DepositPhotos/halfpoint

O uso da realidade virtual (VR) para fazer compras pode estar mais próximo do dia a dia dos brasileiros que se imagina, segundo um estudo da Worldpay, líder global em processamento de pagamentos. Oferecendo um leque de oportunidades para diversos tipos de mercado, o ambiente virtual pode ser criado a partir do uso de óculos que transporta o consumidor tanto para uma experiência imaginária, ou real com imagens, sons, e outras sensações que tenham sido criadas para replicar a experiência do mundo real.

O estudo revelou que 73% dos brasileiros entrevistados têm interesse em fazer compras usando a realidade virtual (VR) – um índice significativamente maior que outros países pesquisados como Alemanha (59%) e até mesmo o Japão (57%). Com o lançamento de mais e mais produtos integrados com VR, a pesquisa destacou ainda como a tecnologia está se tornando cada vez mais acessível e ganhando a atenção dos consumidores no Brasil.

Ainda segundo a pesquisa que abordou 2004 brasileiros, 85% dos entrevistados consideram adquirir um produto com a tecnologia de realidade virtual e 84% gostariam de ver lojas físicas usando o recurso. Porém, 56% dizem que a capacidade de visualizar e experimentar um produto ou experiência em VR ou Realidade Aumentada (AR) não afetaria a possibilidade de fazer uma compra por impulso. Além disso, a segurança do meio de pagamento virtual é uma preocupação para quase metade (43%) dos brasileiros pesquisados.

Para ajudar a superar essa barreira da segurança, pesquisadores da Worldpay estão estudando como os consumidores podem pagar usando cartões de crédito e débito enquanto estão imersos no ambiente virtual. O resultado desse trabalho foi a criação uma prova de conceito, que oferece o mesmo nível de conveniência e segurança que consumidores tem em lojas físicas e online, sem a necessidade de deixarem o universo virtual.

O protótipo criado utiliza o recurso de ‘Host Card Emulation (HCE)’, responsável por virtualizar o processo de compra. O pagamento usa ainda a tecnologia EMV*, que possibilita que o protótipo trabalhe da mesma maneira que um pagamento de cartão sem contato, através da aproximação do cartão (virtual) no terminal (também virtual). Para digitar a senha, a Worldpay criou uma tecnologia que se chama AirPIN. É a primeira solução deste tipo que permite que o consumidor veja uma série de números neste ambiente virtual e selecione os quatro dígitos que compõem a sua senha, utilizando seu controlador virtual.

Estima-se ainda que essa nova experiência de compra estimule a adoção da VR entre os consumidores. A pesquisa destacou que a principal razão pela qual mais pessoas não usaram a VR ou AR é devida a falta de oportunidade (54% dos entrevistados), seguida pelo custo (33%) e pela falta de compreensão sobre como beneficiaria o dia a dia de cada um (17%).

“Quanto mais consumidores tiverem a oportunidade de experimentar essa tecnologia, maior a chance de perceberem todos os benefícios que o VR oferece – não só relacionado à experiência de compra, mas também a outras atividades de rotina como jogando vídeo games, praticando atividades físicas, e até mesmo no ambiente de trabalho colaborativo, em que uma apresentação 3D pode ser feita em tempo real para executivos de diferentes escritórios, o que pode ser muito útil para o setor de arquitetura, por exemplo. Por essas razões, as empresas brasileiras têm um papel essencial para explorar as diversas aplicações da VR a fim de ajudá-las a se manter cada vez mais conectadas com os clientes”, explica Juan D’Antiochia, gerente geral para América Latina na Worldpay.

D’Antiochia continua: “Os consumidores estão demandando mais inovações tecnológicas e os novos métodos de pagamento podem oferecer benefícios potenciais para cada tipo de negócio. Isso também é revelado pelo nosso estudo que mostra que 90% dos brasileiros pesquisados gostariam de ver esse tipo de tecnologia sendo usada em aplicativos do varejo. Por isso, será possível perceber se a tecnologia suporta a possibilidade de compra, à medida que mais companhias experimentam o VR/AR com o objetivo de ampliarem o engajamento com os clientes. Seja qual for o canal de vendas, isso é primordial para tornar o processo de pagamento seguro e eficiente. Uma experiência de VR imersiva, convincente e com uma simulação perfeita pode ser capaz de potencializar a capacidade de vendas de uma empresa”.

A pesquisa foi conduzida pelo centro de pesquisa Opinum, em março de 2017 e entrevistou 16.000 consumidores familiarizados com Realidade Virtual (VR) na Alemanha, Austrália, Brasil, China, Japão, Holanda, Estados Unidos e Reino Unido. No Brasil, foram 2.004 participantes abordados. A versão completa da pesquisa “Consumidor 360: Como a realidade virtual está remodelando a experiência de compra” está disponível e pode ser solicitada para a equipe de Comunicação da Worldpay.

*EMV significa Europay, MasterCard e Visa e é um termo padrão global para cartões de crédito e débito que usam chips de computador para autenticarem (e protegerem) transações com cartão com chip.
ENDS